No Verão, por exemplo, as dores de cabeça são comuns e muitas vezes reincidentes, pois o calor costuma causar desidratação e desequilibrar o processo de entrada e saída de sódio e potássio das células, causando um distúrbio no metabolismo que resulta na cefaleia.

Entretanto, não é só o calor que influencia a incidência das crises, outros fatores ambientais como pressão, humidade e poluição do ar também podem causar as descompensações, inclusive na pressão arterial.

De acordo com especialistas, as pessoas que sofrem com dores de cabeça ou enxaquecas, já costumam apresentar crises em razão da exposição solar ou luminosidade excessiva, e como citado anteriormente, variações bruscas de temperatura desestabilizam até o humor e produtividade.

Para quem tem sensibilidade com temperaturas elevadas, no verão, esses fatores ficam ainda mais evidentes.

Calor excessivo, longas viagens, alimentação desequilibrada e excesso no consumo de bebida alcoólica, são alguns dos fatores que desencadeiam as crises.

Quando os ajustes na rotina para um sistema saudável, não estão conseguindo prevenir as crises de dor de cabeça, e as mesmas persistirem por mais de três dias por mês, de forma intensa e contínua, é hora de uma avaliação com um especialista.

Não menospreze pequenos sinais que seu corpo e sua mente apresentam, tenha atenção a sua saúde.

Cuide de Si.