Por: David Pereira

Cada tiro, cada melro. Foi rara a semana de competição, nas últimas duas épocas, em que (pelo menos) uma defesa de João Valido não tenha sido destacada nas redes sociais das páginas do Campeonato de Portugal e da Liga 3 nas redes sociais.

De acordo com dados revelados pela Federação Portuguesa de Futebol, o guarda-redes que recentemente trocou (o seu) Vitória de Setúbal pelo Arouca terminou mesmo em primeiro lugar nos rankings de remates defendidos (101, mais 10 do que Raphael Mello do Canelas 2010) e de “super-defesas” (32, mais quatro do que Lukas Hornicek do Sp. Braga B), apesar de representar uma equipa com nome, ambiciosa, que chegou à fase de promoção à II Liga e teve a 10.ª melhor defesa da prova. Não raras eram as vezes que frustrou aos atacantes adversários golos mais do que expectáveis, dando a sensação de que, com outro no seu lugar, os sadinos teriam obtido menos pontos.

Pouco importa se era numa recarga a um remate que o próprio defendeu, uma bola subitamente desviada na pequena área ou um disparo de fora da área que levava a direção de um ângulo superior da baliza, João Valido proporcionou fantásticos momentos de futebol com defesas apenas ao alcance de muito poucos.

Bem sei que estamos a falar de um contexto de Liga 3, mas é raro encontrar um guardião com tanta qualidade nas mais variadas vertentes da sua posição. É verdade que ainda tem que crescer nas saídas aos cruzamentos, mas já é um gigante entre os postes, tem um bom jogo de pés, protege bem a profundidade e tanto ‘engata’ em encontros frente a adversários diretos como se mostra concentrado em partidas mais desequilibradas. É o chamado pacote completo. Arrisco dizer, até convictamente, que o Vitória já teve na I Liga guarda-redes substancialmente inferiores a este jovem internacional português de apenas 22 anos.

Para uns, pode tratar-se de uma revelação da edição inaugural da Liga 3, mas grande parte das pessoas que seguem o Vitória já ouviam falar dele há bastantes anos, porque desde bem cedo que o guardião começou a ser chamado a treinos da equipa principal e a marcar presença na convocatória das seleções nacionais jovens. E quem o viu entre 2018 e 2020 na baliza da equipa de sub-23 na Liga Revelação não pode ficar surpreendido. O que não se esperava era que assumisse a titularidade da baliza sadina no terceiro escalão do futebol português.

Ignorado por Rui Jorge

Tendo em conta que todos os jogadores nascidos a partir de 1 de janeiro de 2000 estão elegíveis para participar no Campeonato da Europa de sub-21 do próximo ano, João Valido, que nasceu a 3 de março de 2000, ainda pode ser chamado para a seleção nacional dessa categoria.

No entanto, o guarda-redes com mais remates defendidos da Liga 3 tem sido ignorado pelo selecionador Rui Jorge, que tem dado a titularidade ao 10.º guardião com mais defesas do mesmo campeonato (Celton Biai, do Vitória de Guimarães B) e já convocou João Monteiro, que na época passada não foi além de um jogo pela equipa principal da B SAD (e oito pelos sub-23); Samuel Soares, que dividiu a temporada entre juniores, sub-23 e equipa B do Benfica; João Gonçalves, atleta do Boavista que não faz qualquer jogo oficial desde que jogou na Liga Revelação em abril de… 2021; e Gonçalo Tabuaço, dono da baliza do Estrela da Amadora na II Liga.

Um campeão no pentatlo moderno

Enquanto brilhava nas balizas das camadas jovens do Vitória de Setúbal, João Valido fazia também um trajeto brilhante no pentatlo moderno, que concilia as modalidades de hipismo, esgrima, natação, tiro e corrida. E não, o novo guardião do Arouca não era só um mero praticante, pois tem no currículo títulos nacionais, europeus e mundiais.

Enquanto deu, tentou conciliar o futebol e o pentatlo moderno ao máximo, ainda que a bola tivesse prioridade, porque se faltasse a um jogo prejudicava toda uma equipa. E enquanto deu, esteve no clube do coração, o Vitória Futebol Clube. Mas há uma carreira para construir e não há vitoriano que o tenha levado a mal por agarrar a oportunidade de chegar à I Liga.

Texto: https://davidjosepereira.blogspot.com/

Fotos: FC Arouca