Por: Drª Gláucia Souza

A gestão do tempo, tem uma grande influência na nossa vida.

O conceito de tempo, do qual fazemos uso, tem importância relevante para que possamos manter nossa saúde.

E porque muitas pessoas adoecem quando dizem que não tem tempo?

Simplesmente, porque necessitamos colocar prioridades para não chegarmos ao limite físico e mental.

Há pessoas que se sentem exauridas, e fisicamente apresentam cansaço, aperto no peito, indigestão, dor de cabeça, alterações do apetite e dores nas costas, e psicologicamente irritabilidade, ansiedade, indecisão, desmotivação, dificuldades de concentração, isolamento ou agressividade, ao qual atribuímos após persistência dos sintomas, à patologia psicossomática.

Ao longo da evolução humana, podemos perceber que a conceção do tempo passou por várias fases, iniciando como uma forma cíclica, descontínua e qualitativa, até assumir o sentido linear, progressivo e quantitativo, sentimento claro de definição, ou seja, que nada pode voltar, apenas seguir em frente, independente do resultado.

Após muitos estudos psicológicos e psicossociais, descobriu-se o valor do tempo nas organizações, dentro e fora do trabalho.

A descoberta desse valor tornou-o um tema relevante na gestão de recursos das organizações, sendo base para aumento de produtividade tanto individual, quanto coletiva.

O propósito deste artigo, é trazer uma reflexão sobre o equilíbrio do tempo dedicado ao setor profissional e pessoal, conectado com o desenvolvimento e evolução da sociedade, bem como, estar saudável e pró-ativo perante a própria vida.

Todos temos responsabilidades, mas se não dedicarmos tempo para nossa saúde, não conseguiremos ter qualidade para viver. Cuide de Si