No âmbito do projeto “Bio Região do Tâmega e Sousa”, Castelo de Paiva acolhe no próximo dia 12 de Maio, às 14h30, o workshop “ Bio região do Tâmega e Sousa – Pensar Global, Agir Local ”no espaço do Centro de Interpretação da Cultura Local. O mesmo é promovido pela CIM do Tâmega e Sousa, em parceria com o INIAV, a UTAD, a EPAMAC, a Dolmen e a Ader-Sousa, que engloba um ciclo de 11 workshops. O próximo é organizado pela Dolmen com a colaboração da ADRIMAG.

O programa engloba uma sessão de abertura que vai contar com a presença e intervenção de Liliana Vieira, vereadora da CM de Castelo de Paiva, João Carlos Pinho, Coordenador da Adrimag, e Telmo Pinto, 1º Secretário da CIM do Tâmega e Sousa. Na abertura vai acontecer ainda a apresentação do Referencial Estratégico da Bio região do Tâmega e Sousa, por Susana Alves, da CIM Tâmega e Sousa.

As notas finais deste “workshop“estão à responsabilidade de Elsa Pinheiro, coordenadora geral da Dolmen CRL, depois de um período de debate e também das intervenções respetivas. O painel “Modos de Produção Sustentável” conta com a participação de Liliana Pinto – Agrinemus – Produção Biológica de Tremoços, e Luís Guimarães – Produção Biológica de Cogumelos, seguindo-se “Pensar global – Agir Local – Cabaz de Produtos Biológicos “com a colaboração de Diogo Pereira, da Dolmen CRL.

O objetivo destas sessões é mostrar o referencial estratégico para a Bio Região do Tâmega e Sousa, que é desenvolvido no contexto do projeto, também sensibilizar para a importância da alteração de comportamentos nos modos de produção, informando e incentivando os produtores à conversão da sua agricultura para o modo de produção biológica, e por fim, uma terceira dimensão, sensibilizar para a importância do potencial diferenciador que pode estar associado à comercialização de um cabaz de produtos locais biológicos.

Têm sido focadas culturas diferenciadas em cada sessão, sendo que, neste caso vai haver o contributo com o testemunho de produtores de cogumelos e tremoços, produzidos em modo de produção biológico. Os produtores locais são sem dúvida os destinatários, no entanto em termos globais é também para a comunidade local, até porque esta é uma temática transversal às diferentes dimensões da sociedade, uma vez que falar-se de agricultura no atual momento é também ter-se ambições e preocupações económicas, sociais e ambientais.

As inscrições para participação devem ser feitas através deste endereço: https://forms.gle/k8CGFoE2ReQYz3La7