Era objetivo de Carlos Carvalhal arrecadar mais pontos do que na época passada, 64, Ricardo Horta levou este requerimento a sério a realizou o golo 92 pelos bracarenses, concedendo os 3 pontos ao clube, assim como a tão desejada meta dos 65.

O FC Arouca, com este percalço, depende dos resultados obtidos pelo Belenenses. Em caso de empate ou derrota os arouquenses conseguem a manutenção, no entanto se o cenário for diferente o destino dos azuis e amarelos fica adiado para a última jornada, quando jogarem precisamente com o Belenenses SAD.

Apesar do Braga ter tido mais bola, a qualidade não estava lá e a partida manteve-se estagnada até ao final.

Um jogo que valia ouro

Este encontro para os arsenalistas pouco representava, a não ser superarem os 64 pontos, mas para o FC Arouca podia valer a confirmação de permanência na I Liga. De qualquer das formas a história não estava favorável ao clube de Arouca, pois nunca venceram em Braga, todavia Armando Evangelista apenas fez uma mudança ao anterior onze, trocou Abdoulaye por Galovic na defesa. Já Carlos Carvalhal fez três alterações, relativamente ao encontro com o Belenenses, trocou Tiago Sá, Fabiano e Francisco Moura por Matheus, Yan Couto e Abel Ruiz.

O resultado final não fez jus ao que ocorreu durante o encontro e, principalmente, durante a primeira parte, onde as melhores oportunidades pertenceram aos arouquenses. David Simão rematou de frente para testar os reflexos de Matheus, e Arsénio sem piedade lança um tiro para o qual o guardião bracarense teve de dar o peito e aplicar-se para não o deixar passar.

O intervalo chegaria com o sabor do empate, todavia quem mais se atrevia era o FC Arouca, que apesar de não ter tanta posse de bola estavam mais ágeis e certeiros que os da casa.

Má sorte

O jogo manteve-se no mesmo ritmo na segunda parte, mesmo depois da substituição forçada que Carlos Carvalhal fez ao intervalo, ao colocar Fabiano na defesa e ao lançar Falé na frente, mas como não resultou ainda fez mais duas. Armando Evangelista decidiu igualmente mudar as marés com duas substituições.

Com aproximação do fim do jogo, e o Braga com os nervos a saírem pelas costuras, mais era a pressão que fazia, mas o Arouca sem se deixar ficar intensificou os contra-ataques e trabalhou no erro do oponente. Prova disso foi o remate de outro mundo de André Silva para as mãos de Matheus, após Antony recuperar a bola.

Pouco ou nenhum era o perigo representado pelo SC Braga, contudo o azar estava virado para os canarinhos, e mais para o final do jogo Falé cruzou, e ao segundo poste Ricardo Horta aproveita e pontua. O Arouca foi infeliz com um resultado que não se coadunou com a prestação. Esperemos os próximos jogos.

11 inicial FC Arouca

1.Victor Braga/ 72. (C)Thales Oleques/ 13. João Basso/ 53. Abdoulaye Ba/ 6. Matheus Quaresma/ 5. David Simão/ 21. Leandro Silva/ 22. Alan Ruiz/ 10. André Bukia/ 8. Arsénio Nunes

Suplentes

12.Emilijus Zubas/30.Norbert Haymamba/3. Brunão Gonçalves/ 60. Marco Soares/ 14. Pité/ 99. Bruno Marques / 78. Tiago Araújo/15.Oday Dabbagh/27.Antony Alves

Treinador: Armando Evangelista

11 inicial SC Braga

1.Matheus Magalhães/1.Paulo Oliveira/16.David Carmo/3.Vítor Tormena/2. Yan Couto/8. Al Musrati/10. André Horta/57.Rodrigo Gomes/ 9. Abel Ruiz/99.Vitinha/ 21.Ricardo Horta (C)

Suplentes

12.Tiago Sá/70.Fabiano Souza/86.Bruno Rodrigues/74.Francisco Moura/67.Gorby Baptiste/25.Lucas Mineiro/88. André Castro/96.Miguel Falé/78.Roger Fernandes

Treinador: Carlos Carvalhal

Texto: Ana Castro Fotos: Pedro Fontes