Associação do setor deixou o alerta

Devido ao aumento dos custos de produção, os criadores de bovinos estão a deixar a atividade. A associação crítica a falta de apoios prestada pelo Governo, contando com uma grande zona de criação a norte do Distrito de Viseu.

Deste modo, a Associação Nacional de Criadores de Raça Arouquesa (ANCRA), que tem a sua sede em Cinfães, já adiantou que muitos criadores de gado de Raça Arouquesa vão deixar de o fazer.

Manuel Cirnes, secretário geral da associação, em declarações ao Jornal O Centro, adiantou que o setor vai sofrer, já este ano, uma diminuição significativa do número de produtores. Segundo o secretário, os produtores vão diminuir de modo bastante significativo as suas atividades, prevendo, nos seus cálculos, que haja uma baixa de “mais de 300 vacas, 300 reprodutoras já este ano”, situação que causa bastantes dificuldades, tal como anunciou o mesmo.

O responsável salientou ainda que os preços dos materiais utilizados pelos criados têm vindo a aumentar ao longo dos últimos anos e que, atualmente, estão “caríssimos, desde as sementes aos fertilizantes, além do milho”. Manuel Cirnes acredita que o consumidor final já não consegue acompanhar o preço final do produto, e lamenta que as propostas da ANCRA tenham caído no esquecimento, não poupando nas críticas à Ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes.  MN ainda destacou que o setor não estava em ruína, e que a ministra não estava vocacionada para o problema, não refletindo por isso qualquer sensibilidade. Apesar de se estarem a tentar aguentar, apresentando resiliência, segundo o dirigente é necessário voltar a criar condições para que os produtores voltem ao ativo. Por fim MC alertou que daqui a pouco tempo as serras vão ficar vazias e vão ocorrer incêndios, o que vai originar a que o Ministério da Agricultura não gaste dinheiro, mas que o da Administração Interna gaste no combate a incêndios.

Foto: CMA