No passado dia 1 de maio, na Igreja do Mosteiro de Arouca, realizaram-se as XXXIII Jornadas Culturais de Arouca. O concerto que foi em homenagem à saúde e à paz mundiais, teve entrada gratuita e contou como atuantes principais com o Grupo Coral de Urrô, o coro do Distrito de Braga e a Orquestra do Distrito de Braga.

A Orquestra do Distrito de Braga frisou na sua página online, relativamente às jornadas “é uma homenagem a todas as vítimas da pandemia e da guerra com uma mensagem de esperança num futuro melhor a partir de um poema anónimo encontrado nas ruínas de um armazém de um campo de concentração da 2ª Guerra Mundial, em Colónia, mas com uma mensagem de enorme esperança carregada de uma força emocional arrepiante, que aqui partilhamos e deixamos para frutificar:

Eu acredito no sol

Mesmo quando ele não brilha

Eu acredito no amor,

Mesmo quando não o sinto.

Eu acredito em Deus,

Mesmo quando ele está em silêncio

A iniciativa musical teve o apoio das freguesias de Alvarenga, Chave, Fermêdo, Mansores, Moldes, Rossas, Santa Eulália, São Miguel do Mato, Tropeço, Urrô, Arouca e Burgo, Canelas e Espiunca, Covêlo de Paivó e Janarde e de São Victor (em Braga). A Paróquia de Arouca e a Real Irmandade Rainha Santa Mafalda também contribuíram com ajudas para o evento.

Fotos: Carlos Pinho

Fotos: Carlos Pinho