A vitória frente ao Portimonense permite ao FC Arouca dar uma passada importante rumo à manutenção na 1ª Liga. O clube canarinho consegue, com este resultado, permanecer mais uma jornada fora dos lugares de despromoção, colocando a batata quente nas mãos dos adversários e perseguidores, que ainda têm um jogo a menos.

O FC Arouca entrou focado e certo de que uma vitória era vital para obter um final de campeonato risonho, desta forma, não tirou os olhos da baliza adversária guardada por Payam, que foi uma mais valia para as tentativas de Alan Ruiz e André Silva, logo no primeiro quarto de hora do jogo.

O protagonista era mesmo Payam que continuava a negar as vontades a Alan Ruiz e André Silva, junto das redes Algarvias. Apesar destas investidas, o portimonense, no geral, conseguiu manter a calma e o equilíbrio, apesar de o Arouca continuar “a carregar”.

Tivemos de esperar até ao final da primeira parte para o Portimonense dar sinais de vida, primeiramente por Relvas a tentar a sua sorte de cabeça, mas à figura de Vítor Braga. De seguida Angulo, pela direita, e num “fugidinha”, aproximou-se da área, mas acabou por colocar a bola num local onde não estavam companheiros.

O intervalo fez bem ao Arouca, ajudando mesmo a curar o susto que fechou o primeiro tempo, isto porque David Simão aproveitando o passe magistral de Alan Ruiz, para fazer o primeiro golo da sua equipa, e o único do encontro. Estava estabelecida a vantagem para os amarelos.

A equipa de Armando Evangelista serviu-se da vantagem para manter a calma, e atribuir técnica e tática ao jogo, tática esta que o Portimonense apenas conseguiu quebrar a faltar um quarto de hora para o final. Vítor Braga teve de suar para impedir a concretização das tentativas de Carlinhos e Fabrício, após Wellington Júnior lhes encaminhar a bola.

Pité ainda iria acertar na barra, aos 84 minutos, com pontaria a mais, situação que se fosse concretizada traria a tranquilidade ao clube arouquense. Todavia o Arouca mostrava-se mais interessado em manter o resultado do que em dilatá-lo.

Mas antes da bonança Vítor Braga ainda ia gelar, pois largaria uma bola que quase resultava num empate. Jogo extremamente positivo para o FC Arouca que fez o seu dever, e vai ver, descansado, o que fazem os seus adversários.

Fotos: Pedro Fontes