Segundo fez saber ao DD a Santa Casa da Misericórdia de Arouca, a Procissão dos Fogaréus, após dois anos de interrupção devido à Pandemia de Covid-19, vai realizar-se no próximo dia 13 de abril, pelas 21h00, caso as condições climatéricas sejam favoráveis, tal como referiu a organização.

Sobre a Procissão dos Fogaréus

Esta procissão, na altura “Procissão dos Passos”, teve início no ano de 1626, sendo provedor o Pe. Diogo Dias. Atualmente, a chamada Procissão dos Fogaréus realiza-se na quarta feira da Semana Santa, e relembra os Passos da Paixão de Cristo, saindo da capela da misericórdia até ao Calvário, passando pelas Cruzes dos Passos.

De modo sucinto, as Cruzes dos Passos eram sete e estavam distribuídas pelas ruas existente na vila na altura. Atualmente apenas existem 4 Cruzes, no Calvário próxima à casa senhorial dos Malafaias, outra na Rua de Santo António, no Largo Ângelo Miranda, e outra nas proximidades do Mosteiro.

Anteriormente, este cortejo procurava recriar as cenas da Paixão de Cristo, desta forma, além dos adereços como estandartes, andores, alusivos às figuras bíblicas (tal como a Verónica de Jerusalém), eram igualmente simulados todos os passos de cristo.

“A expressão “armar os Passos” traduzia-se no enfeite das Cruzes dos Passos com as pinturas atualmente expostas no Núcleo Museológico da Misericórdia de Arouca, que eram colocadas sob uma espécie de sanefa, em jeito de Altar. Este conjunto de pinturas, são de autor desconhecido, apesar de entendidos em arte sacra as atribuírem a Pedro Alexandrino (1730-1810). De estilo Neoclássico, retratam seis cenas de Cristo a caminho do Calvário.”, refere a Santa Casa da Misericórdia.

Fonte: Santa Casa da Misericórdia de Arouca

Foto: Carlos Pinho