Chama-se Condomínios de Aldeia e é o mais recente programa governamental no âmbito da proteção das povoações que habitam meios rurais, contra os incêndios florestais. Mais precisamente no concelho de Arouca, as aldeias de Meitriz e da Paradinha começaram, no arranque deste ano, a dar os primeiros passos rumo à implementação destes condomínios.

Destinado ao apoio às aldeias localizadas em territórios de floresta, o Condomínio de Aldeia tem como objetivo primordial atuar em territórios vulneráveis, ao nível da perigosidade de incêndio e da ocupação e uso do solo atual, com o propósito de garantir a resiliência, a sustentabilidade e a valorização do território. A atuação foca-se nas aldeias que tenham interface direto das suas áreas edificadas com territórios florestais, designadamente as que se situam em Faixas de Gestão de Combustível contiguas aos núcleos urbanos da respetiva Aldeia.

Os proprietários destas áreas são assim chamados a afetar os seus respetivos prédios rústicos a um projeto de interesse comunitário, em torno de um Condomínio de Aldeia, que permita, na eventualidade de um incêndio rural, uma maior proteção de bens, pessoas e animais, e, simultaneamente, valorizar a paisagem natural e cultural.

Estas intervenções, numa área de sensivelmente 5 hectares em cada aldeia, promovidas pelo Município de Arouca, após acordo a celebrar com os proprietários, visam a criação de diferentes mosaicos florestais, o aproveitamento de áreas para a prática de pastorícia bem como a plantação de árvores de frutos regionais ou olival. Entre as ações previstas estão a limpeza de parcelas e de matos; a manutenção de árvores autóctones; a instalação de rede ovelheira; e a preparação de terrenos e plantação de medronheiros, ameixieiras e/ou olival.

O Condomínio de Aldeia – Programa de Apoio às Aldeias Localizadas em Territórios de Floresta está integrado no Programa de Transformação da Paisagem (PTP), e tem um valor de investimento aprovado previsto para cada aldeia de 25.000€, assegurado pelo Fundo Ambiental.