Completa-se hoje 21 anos relativos à derrocada da Ponte Hintze Ribeiro, em Entre-os Rios. Este acontecimento tirou a vida a 59 pessoas, maioritariamente habitantes de Castelo de Paiva, que regressavam, de autocarro, de uma excursão a Trás-os-Montes, às Amendoeiras em Flor.

Em dia de forte temporal, ao princípio de noite de 4 de março de 2001, o país ficou a par que o tabuleiro da ponte centenária Hintze Ribeiro tinha ruído, arrastando para as águas do Rio Douro, que seguia com o caudal cheio, um autocarro da empresa Asa Douro, onde seguiam 53 passageiros, e também três automóveis, com seis pessoas. Não se registaram sobreviventes da tragédia.

“Neste dia, em que mais uma vez se recorda um dos maiores desastres rodoviários de Portugal, num tempo que não apaga a memória, nem a dor que se viveu em Castelo de Paiva”, referiu a Associação de Familiares das Vítimas da Tragédia de Entre-os-Rios, em parceria com a edilidade local, que promevem hoje, ao final da tarde, as cerimónias do 21º Aniversário da Tragédia de Entre-os-Rios.

O programa organizado para assinalar a data, contará com a presença do presidente da autarquia, José Rocha, e responsáveis da AFVTER, além de uma missa na Igreja Paroquial em Sebolido, Penafiel, pelas 18h00, com a bênção de 59 flores, seguido da colocação de coroa de flores no cemitério local.

Seguidamente, pelas 19 horas, junto da antiga Ponte Hintze Ribeiro, e ao Monumento ‘Anjo de Portugal’, escultura dourada de grande envergadura, localizada na parte inferior do memorial que perpetua o nome das vítimas deste fatídico acontecimento, em Castelo de Paiva, haverá uma nova cerimónia de homenagem, com o lançamento de 59 flores ao Rio Douro, que será realizada desde o tabuleiro da Ponte Hintze Ribeiro.

Recorde-se que o Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa já esteve de visita a Castelo de Paiva, em 2017, altura em que veio participar nas cerimónias no 16º aniversário da queda da Ponte Hintze Ribeiro.

Foto: Município de Castelo de Paiva