Após a invasão da Ucrânia pela Rússia, a 24 de fevereiro de 2022, foi criado um grupo de voluntários de Arouca e Vale de Cambra chamado Vale Solidário, no passado dia 28 de fevereiro de 2022.

O médico Serhiy Voronyak, que trabalhou durante 20 anos em Portugal, e, mais precisamente, nestes dois concelhos, encontra-se, neste momento, na Ucrânia a defender o seu país, tendo comunicado com o referido Grupo de Voluntários para dar a informação daquilo que mais necessitam, neste momento difícil.

A organização sem fins lucrativos, através de um contacto realizado com o nosso Jornal, apelou à divulgação desta iniciativa, que se encontra a decorrer até ao dia 13-03-22. Os bens angariados vão ser entregues à organização Novovolynsk Help – na Ucrânia.

Os produtos mais necessitados são Alimentos, Medicamentos, Produtos de Higiene Pessoal e Agasalhos de uso Universal (ver tabela), todavia é o Material Hospitalar aquele que está a escassear. Desta forma, a “Vale Solidário” apela a “quem tiver disponibilidade para doar estes últimos bens, para entrar em contacto com a página e pedir mais informações.”

A referida organização apela, de igual modo, a quem no centro de Arouca (local onde têm menos pontos de entrega de bens), poder disponibilizar o seu comércio/habitação para o efeito, para entrar em contacto pela mesma via.

Após ter conhecimento que se havia criado este grupo para auxiliar o seu país o Dr Serhiy Voronyak deixou na página de Facebook da organização o seguinte testemunho:

“Prestei serviço como médico em Portugal durante cerca de 20 anos, reformei-me a meio ano e regressei a Ucrânia para junto da minha familia, com a certeza de passar os meus dias a usufruir da presença dos meus familiares.

Neste momento os meus dias são vividos da seguinte maneira:

Vladimir Putin, presidente da Rússia, iniciou uma invasão em larga escala na Ucrânia, no início da madrugada dia 24 fevereiro 2022 (quinta-feira).

Além da fronteira, tropas russas invadiram o território ucraniano a partir de Belarus e da peninsula da Crimeia.

Atualmente atingindo muitas regiões do país. O povo ucraniano está a resistir, a população ajuda a enfrentar as tropas russas para combater o avanço dos militares do país vizinho.

Os meus vizinhos e eu também estamos a contribuir para a vitória:

Na minha área de residência ontem fizemos colheita de petróleo para preparação coquetéis molotov – é uma mistura de gasolina com óleo para acender e neutralizar os veículos inimigos/tanques;

Entregámos acessórios de metal para a preparação de dispositivos contendo espigões para furar os pneus dos transportes dos invasores;

As sirenes dispararam na minha cidade em diversos momentos, alertando para risco de ataque. Preparamos abrigos em porões/bunkers com reservas de água, alimentos, medicamentos;

Foram acontecendo várias explosões em algumas cidades (Volodumur) a cerca de 80 Km de distância de minha casa;

Muitos refugiados da guerra das zonas ocupadas do oeste do país, estão recolhidos na nossa região, oferecemos abrigo, alimentação, roupa para pessoas praticamente desconhecidas.

Nós vivemos numa cidade próxima à fronteira com a Polónia.

A fila de carros na fronteira com a Polónia envolve uma espera de mais que 24 horas (cerca de 20 km). Com a lei marcial decretada na Ucrânia, todos os homens ucranianos entre 18 e 60 anos não estão autorizados a deixar o país.

Na fronteira, assiste-se constantemente aos homens que vão levar somente as famílias. Os homens querem ficar, lutar e dar seu sangue pelo seu país.

É horrível passar o dia e a noite num carro com crianças pequenas com temperaturas de ambiente negativas durante a noite.

Por isto é importante conseguirmos dar apoio para as pessoas que aguardam na fila de espera. Na fronteira já funcionam barracas improvisadas, os moradores entregam chá, café, bolachas, cobertores, roupa para ajudar os refugiados.

Juntos estamos fortes!

Agradeço a Vossa ajuda.

28.02.2022

Dr Serhiy Voronyak”