Um subsídio à Associação Geoparque Arouca (AGA) para despesas de funcionamento, no valor de 220 mil euros, não colheu unanimidade no Executivo Municipal. A deliberação ocorreu na reunião do passado dia 18, e contou com a abstenção dos Vereadores Vítor Carvalho, Célia Alves e Helena Rodrigues, da coligação “Agora os Arouquenses”.

O apoio aprovado com os votos favoráveis dos autarcas do PS destina-se a comparticipação nas suas despesas de funcionamento, e será pago metade daquele valor no decurso do mês de janeiro, e o restante em duodécimos mensais, sucessivos e iguais, até ao final do ano em curso

A posição dos Vereadores da oposição foi sustentada numa declaração de voto. Depois de realçar que o apoio da edilidade se traduz num valor muito significativo, assinalam que o mesmo absorve “importantes recursos financeiros da autarquia”, sublinhando “que deverá existir um tratamento equitativo com as outras Associações/Instituições do concelho, uma vez que também estas, promovem atividades e contribuem com iniciativas para o desenvolvimento do mesmo”.

 Estes autarcas entendem também “que a atuação da AGA deverá primar pela autonomia em relação à autarquia, devendo afirmar-se e ter a sua própria ação, de forma independente e clara, demonstrando a sua viabilidade e o impacto real e objetivo no território. Somos apologistas que as questões de turismo deveriam ser centralizadas num modelo de organização da AGA, nomeadamente Passadiços Paiva, Ponte Suspensa, entre outras, tal como já faz com o Centro de Interpretação das Pedras Parideiras”.

 Os Vereadores da coligação contrapõem também que, “pelo contrário, a Câmara continua a criar estruturas internas e paralelas (recursos humanos e técnicos), gastando e duplicando recursos. Sabemos o que está subjacente ao facto de a Sr.ª Presidente não tomar esta decisão”.

Consequentemente, e segundo também regista a respetiva ata, a Presidente da Câmara, Margarida Belém, apresentou uma declaração, que esclarece que a AGA, “tem vindo a assumir competências de interesse público (Pedras Parideiras e Torre Meteorológica, conservação, valorização ambiental e patrimonial) bem como apoio na gestão dos Passadiços do Paiva e da 516 Arouca, que de alguma forma o Município teria de assegurar com os recursos humanos que não possui, para o exercício das funções que a Associação está a desempenhar.”

Foto:Facebook Arouca Geopark