A União de Freguesias de Canelas e Espiunca procedeu ontem à entrega dos prémios de participação, no valor de 100€, às sete associações que entraram no Concurso “Natal da União”. Os contemplados foram: Centro Social de Canelas e Espiunca, 4540 Jovem, Centro Recreativo e Cultural S. Miguel de Canelas, Associação Social e Cultural de Espiunca, Associação de Pais, Rancho Folclórico ‘As Lavradeiras de Canelas’, bem como ao Centro Cultural e Recreativo S. Martinho de Espiunca, que venceu o concurso, tendo por isso recebido mais 100€.

Recorde-se que o concurso, dirigido a todas as associações com sede na União de Freguesias, decorreu entre 11 de dezembro e 4 de janeiro, e pretendeu criar dinâmicas que reforçassem as vivências natalícias e incentivar o tecido associativo para a continuidade das suas atividades.

A partir do lema ‘Há vida na aldeia’, a associação vencedora criou uma aldeia de natal, junto à entrada do edifício do Centro Social de Vila Cova, onde refletiu tradições e costumes de antigamente, como a colheita do centeio e do milho, e outros trabalhos agrícolas. Simultaneamente, foram inseridos na aldeia elementos mais recentes, como o PR10 – Rota dos Aromas. Na sua página do facebook esta coletividade foi chamando a atenção para cada pormenor da decoração, acrescentando informações. As votações foram feitas através do júri composto por Manuel Pinho (Canelas), Aldina Soares (Vila Viçosa) e Vitorino Lopes (Vila Cova), e através da plataforma facebook da União de Freguesias. Foram avaliados critérios como a originalidade e criatividade, a ligação da decoração com a atividade da associação e ainda o uso de materiais reciclados e tradicionais.

Os membros do júri aproveitaram o momento para conhecer melhor cada coletividade, tecendo alguns comentários às decorações e parabenizado todos os envolvidos.

Para o Presidente da Junta de Freguesia, Hermenegildo Moreira, “todas as associações têm o mesmo valor e é mesmo uma grande alegria ter visto o seu envolvimento nesta iniciativa”. Por sua vez, a secretária Sónia Pinho, responsável pela área da cultura, salientou que “para primeiro ano, correu muito bem e a ideia é continuar e incentivar as associações que não participaram a participar, sendo que o objetivo global do concurso foi conseguido e com muito sucesso”.

Também os dirigentes associativos presentes deram nota do seu agrado perante a iniciativa, bem como da vontade de trabalhar em rede quer com a Junta, quer com outras associações. Além disso, deixaram sugestões, como, por exemplo, passar a haver prémios para as três decorações mais votadas, o que já está a ser analisado, conforme assegurou o presidente Hermenegildo Moreira.