O projeto ‘Qualify.teca’ do consórcio AECOA/ AEA volta as suas atenções, agora, para uma matéria que marca a agenda nacional e internacional: a Economia Circular. Adotar atitudes sustentáveis e ‘verdes’ terá de fazer parte do paradigma da fileira de empresas a montante da indústria alimentar, cuja clusterização este programa quer fomentar.

A 29 de novembro próximo, o projeto ‘Qualify.teca’ dá o ‘pontapé de saída’ para mais uma componente importante da sua missão de promover, enquanto cluster de peso na economia portuguesa, o aglomerado de empresas dos ‘Equipamentos, Serviços e Ingredientes para a Indústria Alimentar’. Referimo-nos à sensibilização desta fileira empresarial para a inserção na Economia Circular, introdução de práticas inovadoras de eficiência energética e descarbonização da economia. Para isso, a Associação Empresarial do Concelho de Oliveira de Azeméis (AECOA) convidou docentes e investigadores da Universidade de Aveiro (UA), do Laboratório Nacionalde Energia e Geologia(LNEG) e da Cleanwatts de Coimbra para lançarem uma primeira abordagem à temática, num Workshop Demonstrador Tecnológico, que decorrerá nesse dia, a partir das 15h30, no mezzanine da cerveja artesanal Vadia, em Ossela – Oliveira de Azeméis. Esta primeira sessão será orientada para abordagens conceptuais da também denominada economia verde e da sustentabilidade nas suas diversas vertentes, nomeadamente económica, bem como para a apresentação de ferramentas que permitam às empresas destes três setores industriais (máquinas e equipamentos, reservatórios e ingredientes) e do setor dos serviços especializados de alta intensidade tecnológica para a indústria alimentar melhorarem o seu desempenho. Esta jornada de trabalho engloba, ainda, um painel que contará, também, com representantes de empresas da região, moderado por um especialista na área do empreendedorismo e inovação.

As inscrições já estão abertas e podem ser feitas online. Coloque no seu browser qteca.aecoa.pt/inscricoes e será direcionado para um curto formulário. Caso prefira, pode inscrever-se diretamente para o email angela.amorim@aecoa.pt ou através do 256 668 824.

Recorde-se que, a 26 de outubro último, também no âmbito deste projeto, executado pela AECOA em parceria com Associação Empresarial de Águeda (AEA), teve lugar um outro evento do género, mas voltado para a indústria 4.0 e economia digital.

Do diagnóstico à implementação de boas práticas (verdes)

Um Diagnóstico e um Plano Diretor para a descarbonização, bem como o Benchmark para a ‘pegada de carbono’ são alguns dos resultados esperados da atividade desenvolvida no domínio da Economia Circular pelas entidades promotoras do ‘Qualify.teca’, que, neste contexto, prevêem igualmente elaborar um Guia para a implementação de sistemas de gestão de energia.

De acordo com o diretor executivo da AECOA, António Pinto Moreira, “com esta atividade, o projeto da AECOA e da AEA constitui um contributo da fileira para o Roteiro para a Neutralidade Carbónica [RNC 2050] e para o Plano Nacional Energia e Clima [PNEC 2030]. Ou seja, em termos específicos, esta componente “visa mitigar uma falha de mercado em relação a iniciativas de obtenção e produção de informação sobre a economia verde, circular e hipocarbónica sobre setores da fileira que nos propomos alavancar, posicionamento do produto/ serviço em áreas estratégicas para o crescimento sustentado e competitivo, nomeadamente a rotulagem verde”.

De reter que o projeto ‘Qualify.teca’ é financiado pelo ‘Portugal 2020’, no âmbito do Programa Operacional Competitividade e Internacionalização (POCI), no montante de 678.179,55 euros, dos quais 576.452,55 euros são provenientes do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).