Nem o Arouca nem o Gil Vicente conseguiram arrancar a vitória na partida de hoje.

Arouca e Gil Vicente, apesar de terem saído vencedores da jornada anterior, não conseguiram manter a segunda vitória consecutiva, ou seja, deixaram por isso escapar os três pontos.

A história não estava do lado do Gil Vicente que nunca venceu a formação arouquense, em nove jogos que realizaram para a primeira Liga Portuguesa empataram 4 vezes, tendo o Arouca vencido 5 vezes.

A equipa visitante, na única vez que alcançou a baliza adversária, pontuou acabando por inaugurar o marcador na primeira parte. Por sua vez a equipa da casa acabou por igualar e, apesar de terem sido superiores, não conseguiram o volte-face, num encontro muito agitado.

Os primeiros quinze minutos do jogo foram marcados por constantes perdas de bola, passes ao lado e alguma dose de distração, no entanto, quando uma das equipas conseguiu terminar uma jogada resultou em golo. André Silva irrompeu, deixando Talocha para trás, acabando na área e cruzando para Pedro Moreira, este controlou de peito e com um eficaz passe assistiu Arsénio que rematou de primeira batendo o guardião Gil Vicentino.

O treinador do Gil Vicente realizou apenas uma alteração ao jogo realizado com o Marítimo, na segunda jornada, onde venceram (1-2), Matheus Bueno saiu para dar vez a Pedrinho, enquanto que Armando Evangelista não mexeu no onze que bateu o Tondela (2-0).

O galo demorou a cantar

O Gil Vicente demorou a reagir e, apenas no final do jogo, começou a realizar jogadas bem construídas, Fujimoto assistido por Navarro viu o golo a ser negado por João Basso, que cortou terminantemente a tentativa do japonês. A sorte continuava ao lado da equipa da casa, todavia, Fran Navarro desperdiçou uma clara oportunidade, Léautey que aproveitando uma saída em falso da área de Vítor Braga cruzou para o jogador espanhol que rematou, indo ao encontro da figura de João Basso.

A segunda parte consolidou a boa maré no jogo para o Gil Vicente, que haviam empenhado todo o seu esforço em marcar. Zé Carlos levou a melhor em confronto direto com Abdoulaye, entrando na área e cruzando para Navarro que não perdoou.

Estava assim estabelecida a igualdade e tudo indicava que seria o Gil Vicente a controlar o jogo a partir daí, mas o Arouca ainda tinha algo “a dizer”. A dizer sim, mas não a fazer pois não ameaçaram mais as redes gilistas. Os da casa voltaram a ter domínio da partida, que se acentuou com a expulsão de André Silva por acumulação de amarelos.

Foi uma noite agridoce para os intervenientes que atuaram em Barcelos, pois tiveram de dividir os pontos.