O complexo turístico Traços D’Outrora recebeu pela primeira vez o galardão Green Key e o diploma de unidade turística sustentável, pela Biosphere Sustainable Lifestyle. Duas distinções que colocam a unidade hoteleira de Vale de Cambra em destaque pela sua preocupação ambiental e social. 

Depois dos tempos atípicos que o turismo viveu, pela pandemia mundial, o ano de 2021 está a terminar com “chave de ouro” para o complexo turístico Traços D’Outrora, desde logo pela atribuição do prémio internacional da Green Key, que distingue as boas práticas ambientais, a vários níveis, nomeadamente as energéticas, as de educação ambiental na área do turismo sustentável, bem como a autenticidade sociocultural dos territórios de acolhimento, conservando a sua identidade cultural. Este galardão tem por  objetivo consciencializar para a adoção de práticas e comportamentos  sustentáveis, através da educação ambiental para a sustentabilidade , reduzindo  o impacto ambiental das atividades de comércio, serviços e restauração , promovendo a redução e eficiência no consumo dos recursos naturais , facilitando e comunicando estratégias de sustentabilidade e reconhecer as iniciativas de  gestão ambiental, mas também contribuir para a implementação de “Agendas  21 Locais”, através da melhoria contínua das organizações.

Também a Biosphere Sustainable Lifestyle acabou de atribuir a certificação de Turismo Sustentável, um diploma que verifica o cumprimento de todos os requisitos que permitem um bom desempenho em matéria de turismo sustentável. Alguns dos critérios que a Certificação da Biosphere incentiva para ajudar promover o turismo responsável passam por apoiar as comunidades locais, proteger os ecossistemas, promover a sustentabilidade do património, promover a eficiência na utilização dos recursos e ambiente e satisfação do cliente.

A Traços d’Outrora é um complexo de 4 casas de aldeia, na aldeia de Trebilhadouro, classificada como “Aldeia de Portugal”, integrando um conjunto de aldeias com quem partilha interesse histórico e patrimonial.

“Quem chega a Trebilhadouro sente-se a regressar ao espírito típico de uma aldeia beirã escondida no meio da serra, a uma altitude aproximada de 625 metros. As casas em pedra granítica salpicam os recantos que compõem esta região do país. Todas têm os nomes dos antigos proprietários e estão modernamente equipadas, garantindo o conforto que se exige. As camas de ferro e os móveis antigos, as colchas de renda e as cortinas de linho, alia das ao conforto, são o cenário perfeito para uns dias em família ou com amigos.”, destacaram os responsáveis pelo complexo. “No exterior existem vários recantos com mesas e cadeiras de descanso, assim como uma piscina em madeira.”, concluíram.