João Teixeira tem 20 anos e é de Castelo de Paiva. Foi o melhor no ofício de “Mechanical Engineering CAD”, disputado na Áustria.

João Teixeira, de 20 anos, formando do CENFIM – Centro de Formação Profissional da Indústria Metalúrgica e Metalomecânica de Ermesinde, participou no EuroSkills 2021, Campeonato Europeu das Profissões, que decorreu na Áustria, e “ganhou tudo o que podia ganhar”.

Foi Medalha de Ouro na profissão “Mechanical Engineering CAD” e, além disso, foi distinguido como “Best of the Nation”, por ter tido o melhor resultado entre os concorrentes da comitiva portuguesa. Ficou surpreso, mas já está de olhos postos no Mundial, que acontece em Xangai, em 2022.

Esta foi a única medalha de ouro conseguida por Portugal, cujos 18 participantes chegaram ao pódio mais duas vezes: Benedita Rua, da Escola de Hotelaria e Turismo de Douro-Lamego, conquistou a Medalha de Prata na profissão de Serviço de Mesa/Bar; e Beatriz Julião e Niuka Oliveira, do MODATEX Lisboa e Porto, trouxeram a Medalha de Bronze na profissão de Tecnologias da Moda. Houve ainda seis medalhas de excelência para a equipa portuguesa.

João Teixeira, de Castelo de Paiva, reconhece que disputou a prova com concorrentes “com elevada preparação” e que só acreditou na vitória quando ouviu chamar por Portugal. “Foi uma emoção muito grande. Não estava a contar. Só quando ouvi Portugal é que se tornou realidade”, conta.

Muito trabalho

O pódio ficou completo com o segundo lugar da Rússia e o terceiro lugar da Áustria. Tudo isto, sustenta o formando, foi conseguido graças a “muito trabalho, esforço, dedicação e persistência” e também muito apoio do CENFIM. Quer ser engenheiro mecânico ou eletrotécnico e acredita que esta conquista lhe pode abrir portas.

“Nos três dias de prova o João foi muito profissional, focado e concentrado, o que foi reconhecido pelo júri. Quando se souberam os resultados o sentimento foi de total justiça”, assume Dário Pinto, diretor do CENFIM Ermesinde e “presidente do júri da competição. Esta conquista é uma “prova inequívoca” de que Portugal consegue fazer formação “ao mais alto nível”, defende.

Fonte e Foto: JN