O filme israelense White Eye, de Tomer Shushan, venceu a Lousa de Ouro, prémio para o melhor filme da 19ª edição do Arouca Film Festival

A curta metragem White Eye, de Tomer Shushan, venceu a Lousa de Ouro, prémio para o melhor filme da 19ª edição do Festival Internacional de Cinema de Arouca, que decorreu até sábado 18 de setembro. 

A organização do evento descreve que o filme reflete sobre o racismo e a dignidade humana. Indicado ao Óscar 2021, o roubo de uma bicicleta é a força narrativa que movimenta um completo desmantelamento da figura humana. 

Um homem encontra a sua bicicleta roubada, que agora pertence a um estranho. 

Ao tentar recuperá-la, enfrenta questões de racismo, abuso policial e xenofobia.

A Lousa de Prata foi para a França, depois de o filme The Van de Erenik Beqiri ser reconhecido como segundo melhor filme do festival, “Lousa de Prata”, enquanto na categoria Filmes “Covid”, dedicada a obras produzidas durante o período de confinamento, o vencedor foi o filme, Made in China, de Ale Damiani, revelou a organização.

O filme de Quirguistão The Road to Eden de Bakyt Mukul e Dastan Zhapar Uulu foi o vencedor na categoria de melhor filme internacional. 

No total, durante a semana, 50 filmes de países de todo o mundo estiveram em competição em Arouca.