No artigo de hoje irei salientar alguns pontos de atenção sobre as doenças neuromusculares, e como afetam o sistema nervoso periférico que abrange os músculos e nervos periféricos.

É muito importante perceber que esse tipo de doença não altera as funções cerebrais, nomeadamente a consciência, a memória, o raciocínio e linguagem, mas podem trazer dificuldades para locomoção e uma série de outras atividades que antes eram consideradas habituais.

Os primordiais sinais das doenças neuromusculares são astenia e alteração de sensibilidade.

A debilidade muscular pode ser estável ou alterar ao longo do dia, sendo ou não acompanhada de atrofia, as variações de sensibilidade, podem acontecer com a baixa da noção até uma perceção anormal, como dormência, formigueiro, queimação e dor.

É relevante dizer que o tratamento está condicionado à fase em que se encontra o paciente, isso engloba os medicamentos, os sintomas, e as técnicas de reabilitação.

Deteta-se que essa doença, pode afetar qualquer pessoa, porém as causas podem variar.

Pode-se desencadear muitas coisas, falta de autonomia, somatização de emoções e suas dores…

Entre tantos casos de desmotivação, do medo de não estar sociavelmente integrado, é uma preocupação atual da sociedade e setores corporativos.

 As causas dessas doenças estão em mudanças genéticas, algumas das quais podem ser sucessórias enquanto outras acontecem espontaneamente.

Perceberam o quanto é importante fazer um “chekup” todos anos?

Cuide de Si, como se fosse seu último dia.

Texto de Glaúcia Souza