Teve lugar, no passado dia 5 de setembro, a Gala da Declaração Oficial das 7 Maravilhas da Nova Gastronomia, que terminou com a revelação das iguarias vencedoras através de votação popular num programa transmitido em direto pela RTP 1 e RTP Internacional.

Depois do concurso ter iniciado com 1.147 restaurantes concorrentes de todo o território nacional, apuraram-se as 7 maravilhas vencedoras:

Categoria Petiscos

TÁBUA DE POLVO, Baptista (Caminha)

Categoria Vegetariana

ALGARVE, DO CAMPO À SALINA, À TERRA – Praia Verde Boutique Hotel (Castro Marim)

Categoria Vegana

MIL-FOLHAS DE BATATA, CANTARELOS E BOLOTA, Cor de Tangerina (Guimarães)

Categoria Peixe e Marisco

RABOS DE POLVO DAS BRUXAS, Bem Bô (Mirandela)

Categoria Cozinha Molecular

VEADO NO BOSQUE, Dom Júlio (Vila Nova de Cerveira)

Categoria Carne

ESTRELA DO MOSTEIRO, Mosteiro do Leitão (Batalha)

Categoria Doçaria

COININHAS, Confeitaria Santa Coina (Barreiro)

Apresentada por Catarina Furtado e José́ Carlos Malato, a Gala da Declaração Oficial das 7 Maravilhas da Nova Gastronomia veio demonstrar segundo a organização, «uma vez mais a riqueza gastronómica do nosso país e fazer uma justa homenagem a todos aqueles que diariamente dão o seu contributo em prol da valorização deste património nacional. E que este ano foram desafiados pela organização das 7 Maravilhas a reinventar e a reinterpretar o melhor que sabem fazer pela Gastronomia Portuguesa».

Com o mote a reinvenção e a reinterpretação, a gastronomia portuguesa foi agrupada nas 7 categorias submetidas ao voto popular: Petiscos, Vegetariana, Vegana, Peixe e Marisco, Carne, Cozinha Molecular e Doçaria.

Catarina Furtado, embaixadora das 7 Maravilhas, partilhou connosco a sua experiência, “fazer parte das 7 Maravilhas é para mim um honra e uma aprendizagem. Tem sido muito enriquecedor verificar que ainda existe tanto por descobrir e divulgar, com pompa e circunstância, no nosso país em áreas distintas. E como nós não somos só passado, somos também o presente e já o futuro, a temática deste ano consegue reunir uma série de irresistíveis sugestões gastronómicas para todos os gostos, o que faz desta “Nova Gastronomia Portuguesa” a edição mais inclusiva de sempre. Já estou cheia de apetite para a gala final mais uma vez ao lado do meu querido amigo Malatinho“.

Para José Carlos Malato, também ele embaixador das 7 Maravilhas, “10 anos depois de elegermos as 7 maravilhas da gastronomia portuguesa, a televisão pública envolve o país numa nova escolha. A eleição das 7 maravilhas da nova gastronomia. Num ano difícil para este setor, voltamos ao país real na vontade de mostrar o trabalho que os chefs portugueses têm investido, não obstante as adversidades. Portugal reinventa-se neste novo futuro e é um privilégio fazer parte deste projeto que é, ao mesmo tempo, um desígnio nacional! A gastronomia é poesia. E, como diz o poeta, a poesia é para comer!”