O INE divulgou, no passado dia 28 de julho de 2021, os Resultados Preliminares do XVI Recenseamento Geral da População e VI Recenseamento Geral da Habitação – Censos 2021, menos de 4 meses após o momento censitário, dando cumprimento à estratégia de difusão prevista no Programa de Ação para os Censos 2021.

Os Resultados Preliminares são apurados antes da conclusão de todo o processo de tratamento e validação da informação e baseiam-se em contagens das unidades estatísticas (edifícios, alojamentos, agregados e indivíduos) provenientes da fase de recolha, os quais, fornecendo facilidade e rapidez no acesso, se destinam essencialmente a antecipar respostas às necessidades dos utilizadores.

Os primeiros resultados preliminares do recenseamento geral da população revelaram que Arouca tem, neste momento, 21 154 residentes, ou seja, o concelho perdeu população nos últimos 10 anos. As três freguesias que concentram mais população são União de Freguesias de Arouca e Burgo, (com 5122 habitantes), Santa Eulália, (com 2121 habitantes) e Escariz (com 2113 habitantes), sendo que praticamente todas as freguesias perderam população, à exceção de Chave e Mansores. Da região de Entre o Douro e Vouga (EDV), Vale de Cambra foi o concelho que mais população perdeu.

O número de residentes em Arouca caiu 5,4 % nos últimos dez anos, de acordo com os primeiros resultados preliminares dos recenseamentos gerais da população e habitação (Censos 2021), divulgados no dia 28 de julho pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Segundo os Censos Arouca tem neste momento 21 154 residentes, o que representa uma descida de 5,4 face aos números de 2011, sendo que na generalidade do país o saldo migratório positivo não foi suficiente para compensar o saldo natural negativo, a diferença entre os nascimentos e os óbitos.

No município de Arouca há mais 843 mulheres (10 994) do que homens (10 160).

No geral todo o concelho perdeu população entre 2011 e 2021, todavia, foram as freguesias de Covelo de Paivó e Janarde (-23.4%), Cabreiros e Albergaria da Serra (-19.9%), Alvarenga (-13.5%) e Moldes (-10.5%) que mais perderam pessoas. Com menor percentagem de perda de população estão a União de Freguesias de Arouca e Burgo (-1.1%) e Várzea com a mesma percentagem. As freguesias de Mansores (1.7%) e Chave (1.3%) foram as únicas no concelho que viram a sua população crescer. Apesar da diminuição do total de população, o número de agregados familiares aumentou 2.0% na última década, assim como o número de alojamentos, que se fixa, em 2021, em 11 143, o que aponta para um aumento de 3.8%.

No que respeita ao número de edifícios, o valor também subiu na última década, traduzindo-se em 10 336 edifícios, que representa um aumento de 3.7%.

Da região Entre Douro e Vouga, Vale de Cambra foi o concelho que mais população perdeu (-6,9%), seguido de Arouca (-5,4%), Oliveira de Azeméis (-3,5%) e Santa Maria da Feira (-1,9%). Só o concelho de S. João da Madeira aumentou a população (2,1%).

O distrito de Aveiro, na última década, perdeu mais de 12 mil habitantes, contrariando a tendência de crescimento que se havia notificado na década anterior.

Sever do Vouga foi o concelho que mais perdeu habitantes em termos percentuais (10.42%). No que respeita à capital de distrito, Aveiro, este município teve um aumento de residentes na ordem dos 3.1%.

Ílhavo, Oliveira do Bairro, Vagos e São João da Madeira foram também os outros quatro concelhos do distrito que também registaram um crescimento da população.

O processo de recolha dos Censos foi elaborado por 15 mil pessoas e decorreu entre 5 de abril e 31 de maio de 2021.