Família Silva, de Tropeço, quer garantir um futuro para o seu filho de 7 anos, que padece de autismo moderado, perturbação intelectual e epilepsia. Precisa de terapias para conquistar autonomia.

A família e amigos do pequeno João da Silva (7 anos), de Tropeço, no concelho de Arouca, lançaram uma campanha para angariar fundos que lhe permitam ter pleno acesso às terapias de que necessita.

Assinale-se que, após uns primeiros anos de vida marcados pela ocorrência de convulsões que afetaram o seu desenvolvimento, foram-lhe diagnosticados autismo moderado, perturbação intelectual e epilepsia.

Susana Silva, a sua mãe, deu-nos conta de que ele precisa, urgente e regularmente, de terapia da fala, integração sensorial e psicoterapia. Terapias que “são caras” e estão longe de um agregado familiar em que a progenitora está desempregada, tendo o cuidar do filho como “emprego” a quase tempo inteiro, e o pai José trabalha no sector das madeiras, apenas auferindo o ordenado mínimo. Possuindo o casal outra filha que vai para os 15 anos.

Esta criança frequenta uma sessão semanal, de 45 minutos, de terapia da fala na AICIA (Associação para a Integração de Crianças Inadaptadas de Arouca) e também frequenta uma sessão semanal – gratuita até ao final do corrente mês – de integração sensorial numa instituição de Vila do Conde. Com o custo de 65 euros por mês, que a família paga, ainda beneficia de terapia com cavalos na vila oliveirense de Carregosa.

Acompanhado clinicamente, no Hospital de São Sebastião, em Santa Maria da Feira, desde os quatro anos de idade, onde lhe foram “prescrevidas” as terapias acima elencadas, o João ainda viveu tempos de indefinição quanto às suas maleitas. Uma ida a programa da SIC ajudou a mover vontades e competências para definir as suas condições.

*para ler a notícia completa consulte a nossa próxima edição impressa;