4 Estratégias de sobrevivência para melhorar o seu desempenho e relações laborais

Um inquérito da Associação de Ansiedade e Depressão da América (ADAA), nos EUA, apurou mais de 50% dos profissionais que sofrem de depressão são afetados no desempenho profissional, relação com colegas de trabalho e pares e, previsivelmente, na qualidade de trabalho. Apesar de ainda haver estigma desta doença, a verdade é que a pandemia desencadeou angústias e medos que fizeram disparar os casos, com as interferências na vida pessoal e profissional de indivíduos que nunca demonstraram predisposição para tal. A Adecco Portugal reúne 4 estratégias de ‘sobrevivência’ para os profissionais lidarem com a depressão e minimizarem os impactos negativos no seu desempenho e relações laborais. E claro, na sua vida pessoal.

Lisboa 8 de julho de 2021 – A depressão no trabalho pode manifestar-se de muitas formas, sendo que os sintomas mais comuns são a dificuldade de concentração em tarefas, exaustão por alguma forma de perturbação do sono, a sensibilidade à ‘flor da pele’, tristeza, vontade de chorar, sentimento de sobressalto e o sentir-se sobrecarregado. Frequentemente, esta sintomatologia não é isolada e aparece em conjunto quase sempre aliada a um tremendo cansaço.

Se estes sintomas se tornam persistentes e se, racionalmente, não se prendem com nenhuma situação pontual de trabalho que gera vulgarmente picos de stresse, é motivo de preocupação: o stresse difere muito de uma depressão real. Se os sentimentos não desaparecem independentemente do que faça e interferem com todas as áreas da sua vida, é importante obter apoio.

Não é novidade que a COVID-19 desencadeou de forma evidente angústia e ansiedade nas pessoas, agravadas pela alteração do paradigma de trabalho, em regimes mistos ou exclusivamente à distância. A constância da inconstância que marca a vida da humanidade ao longo dos últimos 15 meses tem tido efeitos perversos na saúde mental e aumentou consideravelmente o número de pessoas que se encontram na linha que separa o medo da depressão.

A depressão pode ser debilitante, por isso não é surpreendente que possa afetar as suas experiências no trabalho. Um inquérito da Associação de Ansiedade e Depressão da América (ADAA) apurou que, nas pessoas com depressão, alguns aspetos do seu trabalho visivelmente afetados, nomeadamente:

. Desempenho profissional (56%)

. Relação com colegas de trabalho e pares (51%)

. Qualidade do trabalho (50%)

.Relações com os superiores hierárquicos (43%)

A última coisa de que precisa é que a estabilidade do seu emprego ou a perceção que o seu líder tem de si seja posta em causa quando se encontra num estado de debilidade mental que ainda é alvo de preconceito, especialmente quando a depressão é das principais causas de baixa por doença. Assim, se sente que a depressão está a afetar o seu trabalho e a dificultar as suas relações com os seus colegas de trabalho, experimente estas estratégias de sobrevivência.

1 Comece por falar com um profissional de saúde mental

Um terapeuta pode ajudá-lo a desenvolver um plano de tratamento, com terapia que pode incluir ou não medicação. De toda a forma, mentalize-se que este é um primeiro passo e que não há profissional de saúde ou medicação no mundo que o ajude a sair do estado de depressão se facto não quiser sair dele. É um passo difícil quando já está ‘agarrado’ pela depressão. Mas perante o sinal de perigo, terá que agir. Será ideal optar também por todas as técnicas que sirvam à sua medida para ajudar a tratar e, também, a prevenir recaídas. A atividade física livre, em grupo ou individual é reconhecidamente uma boa terapia. Mas cabe a cada indivíduo procurar o que o estimula.

Se a sua empresa tem o seu próprio subsistema de saúde, acordo com seguros, tem facilidades acrescidas, embora o Sistema Nacional de Saúde disponibilize estas consultas via médico de família! Não há desculpas! Qualquer questão de saúde mental, incluindo depressão, ansiedade, stresse, bem-estar emocional, luto e perda, abuso de substâncias e dependência, questões familiares e de relacionamento, e outros problemas pessoais podem ser abordados neste contexto.

2 Fale com o seu team leader ou com os Recursos Humanos

Embora muitas pessoas digam que a depressão interfere com o desempenho do trabalho, poucos a divulgam ao seu empregador. As pessoas podem não se manifestar e pedir ajuda porque ainda existe um estigma à sua volta. A discriminação por motivos de saúde mental no trabalho desencoraja, infelizmente, o diálogo aberto.

As pessoas podem recear ser vistas como incapazes de fazer o seu trabalho ou ser despedidas se pedirem ajuda. Mas dependendo da gravidade dos seus sintomas, é importante que certas pessoas no trabalho saibam da sua situação. Se precisar de tirar um dia de saúde mental aqui ou ali, pode usar um dia de trabalho pessoal sem dar uma explicação detalhada sobre o porquê.

Contudo, se a sua condição começar a interferir com a sua capacidade de fazer o seu trabalho, considere falar com o seu team leader (que tem mais impacto nas suas responsabilidades de trabalho do que os Recursos Humanos-RH). Se a sua conversa com o seu líder de equipa não produzir quaisquer resultados, pode então passar com os RH.

Por exemplo, se estiver a trabalhar num projeto particularmente difícil que lhe está a causar ansiedade e a agravar a depressão, talvez queira informar o seu gestor que precisa de ajuda para que possa delegar algumas das responsabilidades aos colegas de trabalho.

Como dizê-lo de forma a não se prejudicar? Eis um exemplo: “Quero ter excelentes resultados, mas sinto-me sobrecarregado. Seria útil se eu pudesse trabalhar neste projeto com mais algumas pessoas. Quem na nossa equipa poderia trazer mais-valias?”

Se precisar de estar ausente ou acomodar o seu local de trabalho, uma simples declaração como: “Tenho uma condição médica que requer licença prolongada” ou “Tenho uma condição médica que requer que eu trabalhe numa área com luz solar”, deve ser suficiente para o RH ou para a direção. Note-se que deverá fornecer documentação adicional de um médico.

3 Criação de mecanismos de combate à depressão no trabalho

Cuidar de si próprio e desenvolver mecanismos de sobrevivência pode ajudá-lo ao longo de todo o dia de trabalho. Um profissional pode ensinar-lhe como desenvolver estratégias específicas para os seus sintomas.

Fazer pequenos intervalos durante o dia de trabalho, dar um passeio e chorar se sentir necessidade, telefonar a um amigo ou membro da família, ou apenas tirar algum tempo para si. Também é importante não se isolar, o que é algo que a depressão tende a propiciar. Comunique com os seus colegas de trabalho e faça um esforço concertado para participar, em vez de se desligar.

Manter hábitos saudáveis como comer bem, dormir bem, fazer exercício, e passar tempo com amigos e familiares. Tente fazer planos três ou quatro noites por semana, mesmo que seja algo tão simples como uma chamada telefónica rápida, para que tenha sempre alguém com quem falar após um dia cansativo.

A depressão, ansiedade e outras condições de saúde mental podem tornar particularmente difíceis viver as rotinas normais do dia de trabalho, mas um forte sistema de apoio, em casa e no trabalho, pode ajudar a ultrapassar tempos em que um indivíduo se sente mais debilitado.

4 Encontrar um ambiente de trabalho mais favorável

Se o seu desempenho, colegas de equipa, ou líder estão a contribuir para a sua depressão no trabalho, não vale a pena ficar. Dar este passo pode ser difícil, mas pode criar a disciplina de tempo para atualizar o curriculum vitae, as suas redes sociais, em particular o perfil de Linkedin, inscrever-se em plataformas de emprego e responder a anúncios. Todo este processo ajuda não só a manter a solidez como a abrir a possibilidade de um profissional encontrar uma nova empresa que se orgulha de promover um local de trabalho colaborativo, que apoia os seus funcionários e os ajuda a prosperar.

Adecco Portugal