A crescente poluição do Rio Paiva, sobretudo derivada de sucessivas descargas de ETARs, está a criar revolta não só em Arouca, como em Castelo de Paiva. As baterias estão, grandemente, direcionadas para o (não) funcionamento de ETAR`s. A Câmara de Castro Daire reconhece o problema ambiental, mas tarda em colocar em funcionamento a sua ETAR, já terminada. A Presidente da Câmara de Arouca volta a lembrar os esforços que tem feito junto de entidades e organismos para resolver o problema. Deputados do CDS-PP querem medidas de urgência por parte do Governo.

A revolta dos autarcas

A poluição no Paiva foi um dos assuntos mais discutidos na última Assembleia Municipal, realizada no último dia 28 de junho, tendo causado indignação dos autarcas, dos diferentes quadrantes políticos, que intervieram sobre esta problemática. A revolta não deixou também de incidir sobre o facto de as autoridades não encontrarem responsáveis, dado que a situação se arrasta há muitos anos.

De referir que as denúncias dos últimos dias surgiram, em primeira instância, nas redes sociais e na imprensa, o que levou a uma reação das câmaras de Arouca e de Castro Daire (esta, a solicitada pelo nosso jornal), e da Associação SOS Rio Paiva, que tem a sua Sede em Castelo de Paiva.

Câmara de Arouca e “as iniciativas junto das várias entidades com competências na área da gestão ambiental”.

No dia da referida sessão da Assembleia a Câmara de Arouca emitiu um comunicado esclarecendo que, “a propósito dos posts que têm vindo a circular nas redes sociais relativos a situações de poluição no rio Paiva, que apontam como causas, alegadas descargas da ETAR de Alvarenga e incumprimento dos normativos de funcionamento da pocilga de Mealha (União de Freguesia de Canelas e Espiunca), o Município informa que tem desenvolvido um conjunto de iniciativas junto das várias entidades com competências na área da gestão ambiental, nomeadamente Agência Portuguesa do Ambiente, Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (GNR), ICNF – Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, DRAP-N, Ministério do Ambiente e a ARSNorte, com vista à identificação dos focos de poluição. Foi também solicitada a colaboração da Simdouro, entidade gestora das ETAR’s instaladas nas bacias dos afluentes do Paiva (Alvarenga e Moldes), para validar as suas condições de funcionamento.”

A edilidade arouquense, a propósito da época balnear reforçou que se encontra, em parceria com a ARS, desde o mês de abril, a recolher amostras de água, em vários pontos do Rio para aferir a sua qualidade e que, apesar de terem sido identificados 4 estirpes de salmonella, a qualidade da água é boa para os banhistas em “quase” todos os locais.

Os esclarecimentos da Câmara de Castro Daire e a espera pela EDP

Após surgir a possibilidade da Estação de Tratamento de Água Residuais de Castro Daire ser alegadamente uma das infratoras, o DD contactou a Câmara do concelho vizinho para uma reação.

O esclarecimento que nos chegou começa por referir que o assunto do problema ambiental da água do Rio Paiva, “os preocupa muito e lhes merece toda atenção”, salientando que “o Rio Paiva é um dos nossos maiores ativos e representa um património de valor elevado para o Concelho e para as nossas gentes”, avançando com a informação “que a nova ETAR de Castro Daire está praticamente concluída e que estamos a aguardar a validação das ligações elétricas pela parte da EDP para que a mesma possa ser ligada. Esperamos que a sua entrada em funcionamento esteja para breve.”.

Ainda em declarações ao DD o Município castrense assume estar “consciente que a ETAR da Ponte Pedrinha (antiga estação de tratamento deste concelho), é uma infraestrutura com várias décadas e com alegados problemas associados ao seu funcionamento”. Por essa razão confirmaram que têm vindo “a monitorizar o seu funcionamento e a proceder às normais manutenções de forma a atenuar alguns problemas no seu funcionamento.”

O Município de Castro Daire terminou o seu testemunho reforçando que têm vindo a acompanhar o caudal do Rio e as anomalias que possam existir. “Este ano ainda não temos tido qualquer reporte de casos de poluição da água do Rio dentro da área do nosso Município. Vamos continuar a acompanhar a situação da água no Rio e o funcionamento das nossas ETAR’S, esperando ter em funcionamento em breve a nova ETAR de Castro Daire.”

Foto Óscar Valério

*Para ler o artigo completo consulte a próxima edição impressa dia 9 nas bancas;