Segundo a Rádio Renascença esta situação ocorreu devido à transferência de Kiko para o FC Arouca, quando este já tinha acordo com o Doxa. O jogador pode mesmo vir a ser suspenço caso não pague a indeminização, encontrando-se o clube, recém-promovido, em situação de suspensão até o valor ser pago pelo atleta.

O FC de Arouca encontra-se por isso impedido de inscrever atletas na I Liga, devido a esta transferência, que já remonta a 2018.

Foi apenas no dia 29 de junho que o clube, que garantiu a subida ao I escalão, foi advertido devido à situação de Kiko, (28 anos, extremo que representou o Arouca durante uma temporada).

De acordo com a Rádio Renascença o jogador já tinha acordo com o Doxa, do Chipre, no início da temporada 2018/2019, quando assinou pelo FC Arouca, que estava na II Liga. O clube cipriota comunicou esta situação à FIFA, que deliberou o pegamento de uma indeminização ao jogador.

Kiko pode ser suspenso por 6 meses do futebol profissional caso não pague 100 mil euros ao Doxa, como foi estabelecido. Segundo uma declaração da rádio Renascença a FIFA considera o FC Arouca “solidariamente responsável pelo pagamento”.

A consequência é que o FC Arouca fica impedido de inscrever jogadores por “um período máximo de três mercados de transferência até que o valor seja pago”. Quando a indeminização for paga a proibição é levantada.

O jogador Kiko fez um golo, em 32 jogos pela formação do Arouca, acabando mesmo por se transferir para o Chipre. Este jogou pelo Nicósia e neste momento representa o Omonia.

Foto:Nuno André Santos Agência Lusa;

*notícia realizada com dados da Rádio Renascença;