A nova campanha do Turismo de Portugal- “Tempo de ser” foi apresentada, no dia 8 de junho, última terça-feira, em Arouca, numa sessão presidida pelo Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira. Esta sessão contou ainda com a participação da Presidente da Câmara Municipal de Arouca, Margarida Belém, da Secretária de Estado do Turismo, Rita Marques e de Luís Araújo, Presidente do Turismo de Portugal.

Margarida Belém, que foi a primeira a discursar, afirmou que foi um prazer enorme receber todos os convidados que ali estiveram presentes, naquele que é o Geoparque mundial da UNESCO, na 516 Arouca e acolher a apresentação da campanha nacional e internacional do Turismo de Portugal.

“Tempo de ser-Time to be, este é efetivamente o tempo de ser, de reativarmos a nossa economia e retomarmos a normalidade da nossa vida, seja ela profissional ou pessoal. O tempo de acreditarmos que os dias luminosos vieram para ficar. E é neste contexto que a `516 Arouca´ assume particular relevância porque ela é uma ponte para o futuro, tal como eu já tinha referido, na altura da sua inauguração.”

Para a edil o futuro deseja-se dinâmico economicamente, e esta ponte nas suas palavras “é um elemento fundamental para a alavancagem da atividade turística. É uma ponte de Arouca para o mundo.” MB ainda reforçou que os arouquenses necessitam que esta ponte traga com ela outras pontes, e outras travessias, como a tão desejada via de ligação aos eixos viários do litoral, ou a cobertura, o mais abrangente possível, do nosso território em termos de fibra ótica. “Acessibilidades viárias e digitais são fundamentais para que a economia seja vibrante e para que não fiquemos na outra margem, no passado. Esse passado, que separa o passado do futuro e o interior do litoral”, declarou.

Rita Marques Secretária de Estado do Turismo, segunda figura a discursar focou-se no futuro referindo que com este é se fazem com os territórios, e que a meta será, até 2027, promover o turismo em todo o país. RM também deixou bem claro que longe vai a ideia de que só a litoralização do turismo é que fazia sentido.” Nós com esta pandemia tivemos necessidade de redescobrir o nosso interior e os nossos territórios, e criar motivos de visita salvaguardando os ativos endógenos. Foi isto que Arouca conseguiu fazer tão bem que se tornou uma referência internacional.”, reforçou a secretária de Estado.

Luís Araújo, Presidente do Turismo de Portugal, começou por lançar a questão; “Como é que Portugal se está a posicionar internacionalmente?”. O mesmo adiantou que o ano de 2019 foi fantástico para esse setor em Portugal, pois o país teve cerca de 27 milhões de hóspedes e cresceu 67% em receitas. Reforçou ainda que o essencial para o setor é mesmo a diversificação de mercados, a desconcentração por todo o território nacional e principalmente ao longo de todo o ano.

“O ano de 2020 foi um ano de desafios e foi por isso que, muito recentemente, se lançou o Plano Reativar o Turismo e Preparar o futuro. Porque queremos acelerar esta fase e recuperar o 2020 perdido e também preparar o futuro, e o futuro faz-se também a partir do que os outros mercados pensam de nós. Ou seja, como é que os outros nos vêm? Acreditamos que este é o momento de ser porque sem viagens, sem mobilidade e sem a capacidade de nos encontrarmos com amigos claramente não somos completos. Hoje mais do que nunca temos necessidade de ser um país só.”, finalizou LA.

A nova campanha do Turismo de Portugal traz uma mensagem de “confiança”, para este período pós pandemia, e que se dirige ao mercado internacional e também nacional. “esta campanha é uma campanha que pretendemos lançar para reativar o nosso setor turístico, vamos abrir-nos ao mundo e ao país, e tentar realçar todos os atributos de Portugal para o mundo. E vamos tentar comunicar isso”, foram as palavras que Pedro Siza Vieira utilizou para iniciar o seu discurso.

Salientou que A escolha de Arouca para a apresentação deste projeto já tinha sido pensada. “Esta ponte que vimos hoje aqui visitar teve uma visibilidade em todo o mundo, e foi o símbolo de uma notoriedade internacional que Portugal afirmou nos últimos anos.”

O ministro da economia e transição digital salientou que o que é importante para o futuro é não permitir que os turistas se fixem sazonalmente apenas no litoral, nas praias. É fundamental que todas as regiões de Portugal tenham turistas, durante todo o ano, e que possam descobrir tudo aquilo que o nosso país tem para oferecer.

Tudo isto numa lógica de criação de empregos, valorização empresarial e territorial. “ Estes três atributos diversificação de mercados, combata à sazonalidade e diversificação de destinos fazem parte da estratégia de turismo 2017/27”, realçou Pedro Siza Vieira.

Em 2019 Portugal alcançou o maior número de visitas de estrangeiros e também o mais elevado número de receitas de atividade turística.” Portugal é hoje um destino turístico de elevado valor, crescemos em valor, aumentamos o preço dos produtos e aumentamos as receitas do país.”

Este plano foi idealizado para relançar o turismo e reconstruir esta atividade, que seja, torná-la mais sustentável, com mais valor, mais digitalizada e dirigida a mercados mais diversificados.

Pedro Siza Vieira dirigindo-se à edil arouquense reforçou “Srª Presidente da Câmara não consigo conceber um exemplo mais notável da possibilidade de colocar uma região como destino, no mapa, como esta ponte ou estes passadiços do Paiva.”

Este novo plano prossegue um dos objetivos da Estratégia Turismo 2027, o de Relançar e projetar Portugal, integrando-se no Plano “Reativar Turismo | Construir Futuro”. Esta ação tem como finalidade, “reforçar a internacionalização da Marca Portugal enquanto destino turístico para visitar, investir, viver e estudar, e o posicionamento do turismo como fator de competitividade e de alavanca económica do país e das empresas”.

Texto: Ana Castro

Fotos: Carlos Pinho