Apesar das críticas vindas da bancada do PSD, a Assembleia Municipal de Arouca, na sessão que decorreu na loja interativa de turismo, na passada sexta-feira, aprovou por unanimidade o Relatório da Estratégia Local de Habitação, que genericamente se constitui como suporte a candidaturas aos fundos comunitários, numa área de grande carência no município.

Ainda no setor da habitação, e também por unanimidade, foi aprovado o regulamento de Apoio ao Arrendamento. Os fluxos de caixa/integração de saldo de execução orçamental, a segunda revisão ao orçamento revisão às Grandes Opções do Plano, assim como a primeira alteração simplificada ao Plano de Urbanização de Arouca foram aprovados por maioria, com a abstenção do PSD. O Relatório de Contas, relativo ao ano 2020, será apresentado na próxima sessão de junho.

Os deputados municipais, também com a abstenção dos sociais-democratas, aprovaram a recusa da transferência, do governo para o município, de competências no domínio da Ação Social.

O Período Antes da Ordem do Dia foi marcado, mais uma vez, pela problemática do preço da água, com várias questões a serem levantadas por Luís Silva, do PSD, sendo dado especial ênfase ao facto de ainda não ser do conhecimento da Assembleia o relatório de diagnóstico dos últimos anos da parceria do município com as Águas do Noroeste. A presidente da Câmara, Margarida Belém, esclareceu que o relatório já se encontra na posse da edilidade, estando a ser analisado pelos serviços, e que, relativamente à possível saída do município da parceria informou que reuniu recentemente com as Águas do Norte. Pelo que se pode inferir será um processo complexo.

Este período foi ainda marcado por diversas questões ambientais, com especial relevância para a poluição no rio Paiva, e educativas, assim como na área da saúde.

Mais desenvolvimentos na edição impressa.