Ao longo do último ano, o tema da pandemia tem sido recorrente e central nesta coluna. Os números divulgados recentemente pela autarquia no dia que em escrevo (2 casos ativos) orgulham-nos enquanto comunidade. Os nossos profissionais de saúde agradecem e o nosso tecido económico bem precisa que saibamos compreender e cumprir as regras por forma a podermos estar brevemente todos vacinados e voltar à tão ansiada normalidade.

Mas existem mais motivos de júbilo dos arouquenses:

O nosso Futebol Clube de Arouca (FCA) mantém-se firme na sua fantástica campanha na II Liga e continua a alimentar a esperança dos adeptos num regresso ao convívio com os grandes do futebol português. Lembremo-nos que a 2 de Maio do ano passado a Federação Portuguesa de Futebol decidia pela subida do FCA e do Vizela à II Liga após a interrupção forçada do campeonato de Portugal devido à pandemia e, agora, um ano depois, estes mesmos clubes exibem o seu valor e disputam a subida. E seria épico estarmos devidamente vacinados no municipal de Arouca a receber os maiores clubes do país como no passado. Vamos acreditar!

Por estes dias, podemos ter como inspiração o fantástico percurso do Simão Oliveira. Que orgulho sentimos na sua participação e como este enorme talento arouquense nos prendeu ao ecrã, gala após gala, mostrando ao país um talento e performances que, felizmente, tivemos oportunidade de testemunhar desde muito cedo. E que tremenda honra será para Portugal e para Arouca ter o Simão Oliveira no Festival da Eurovisão Júnior em França. Quero aqui deixar os meus mais sinceros parabéns ao Simão Oliveira, ao seu pai e restante família, que levaram bem alto o nome da nossa terra, a música portuguesa e, acima de tudo, neste momento tão difícil que estamos a viver, um obrigado pela imensa alegria que nos proporcionou ao ter vencido o The Voice Kids. É gratificante ver esta união da nossa comunidade. É uma prova que sabemos valorizar-nos. O Simão é de uma nova geração, uma prova da qualidade da juventude arouquense. Somos unânimes, presumo, em reconhecer que existem jovens qualificados e com valor que merecem uma oportunidade de poder dar o seu contributo cívico e político à população. Neste particular, a aposta em Vítor Arouca para concorrer à presidência da União de Freguesias de Arouca e Burgo bem como a recandidatura de Miguel Sousa à Junta de Freguesia de Tropeço, são excelentes notícias e demonstram que os Partidos também estão atentos e dispostos a conceder-lhes essas oportunidades. Estes jovens, ao serem eleitos, serão, com toda a certeza, excelentes autarcas. Ansiamos, assim, por mais novidades no que ao xadrez político autárquico diz respeito. Que novidades irá o PS, que detém o poder camarário há 28 anos, apresentar? Haverá renovação na lista da Câmara? E relativamente ao PSD, após as novidades conhecidas, qual o candidato e qual a equipa que irá apresentar a sufrágio? O CDS vai avançar sozinho? O PPM voltará a assumir uma candidatura? E o Bloco de Esquerda, após criação de núcleo, apresentará uma candidatura? E que novidades teremos do PCP? Que equipa acompanhará Anselmo Filipe Oliveira pelo Ergue-te? Certamente que vamos continuar a acompanhar com enorme curiosidade as semanas que antecederão e se seguirão às eleições.

Por fim, uma palavra para Fernando Mendes que, com um texto sentido e profundo sobre o seu percurso político, anunciou que não irá ser recandidato à presidência da Câmara Municipal de Arouca. A renovação é de saudar, embora o contributo de autarcas experientes e com obra feita seja essencial no rumo do município.

Texto de Artur Miler