A candidatura do ‘Ergue-te’ Arouca emitiu hoje, dia 31 de março, um comunicado onde falou sobre os prémios ganhos pelo município na área do turismo, afirmando que “não passam de medalhas de brincadeira que a todos deviam envergonhar”. De seguida apresentamos o comunicado na íntegra.

“A opção de qualquer executivo camarário pelo turismo, não só é legítima como é uma aposta teoricamente acertada, de divulgação e de desenvolvimento, que colhe o consenso neste país (e concelho), abençoado pelo clima e também pela estabilidade e segurança, se comparadas com as de muitos outros destinos. Porém, podemos discordar da importância e prioridade dadas a este sector que nem sempre traz o retorno que se apregoa.

O que não podemos tolerar é a política de faz-de-conta, de fraude e de aparência, onde se faz alarde de prémios “ganhos” que, afinal, são comprados num mercado de vaidades. Não é por qualquer mérito na qualidade das infraestruturas turísticas ou na visão estratégica da autarquia, como se leva a crer com a ostentação de prémios, mas antes manobras publicitárias, desonestas, de tráfico de ilusões, para encher o ego dos autarcas, justificar o investimento e alimentar a política-espectáculo de que tanto gostam.

Todos os arouquenses são orgulhosos da sua terra e certamente rejubilaram com os prémios atribuídos à sua terra, quando afinal se vem a saber que tudo não passava de malabarismos para iludir a população. Assim não! Os arouquenses não merecem esta farsa.

Os prémios atribuídos por uma empresa como a World Travel Awards, que não apresenta relatório de actividades e cujas votações não têm supervisão alguma, não passam de medalhas de brincadeira que a todos deviam envergonhar.

Posto isto, depois do que veio a público através da imprensa, várias questões se devem colocar:

– O custo destes prémios trouxe algum benefício, como o aumento da procura turística de Arouca?

– Quanto custaram esses prémios (deslocações, jantares vídeos promocionais, pagamento das taxas para os “vencer”)?

– Essas verbas não teriam sido mais bem empregues, se aplicadas na melhoria da qualidade de vida de muitas freguesias que continuam esquecidas por não estarem nos guias turísticos?

Arouca tem belezas naturais inigualáveis, pelo que, não é preciso forjar prémios de bazófia, que só enchem o olho, para que isso seja reconhecido. Os arouquenses merecem bem melhor. Merecem políticas sérias e políticos honestos.”