O Governo aprovou, em Conselho de Ministros, no dia 11 de março, uma estratégia gradual de levantamento de medidas de confinamento no âmbito do combate à pandemia da doença COVID-19, nos termos da qual definiu o dia 15 de março como data de retoma das atividades em regime presencial da educação pré-escolar e do 1.º ciclo do ensino básico.

Neste sentido, cumpre reforçar a necessidade de manutenção de todos os cuidados no que respeita ao cumprimento das normas estabelecidas para o funcionamento do ano letivo 2020/2021.

As medidas de desconfinamento que entrarão em vigor após 3 de maio serão conhecidas mais perto da data, confirmou António Costa.

O nível de abertura do país será sujeito a uma avaliação quinzenal, com diferentes “níveis de risco”, com base no número de novos casos por 100 mil habitantes a 14 dias, e o índice de transmissibilidade e as medidas serão reavaliadas.

Desta forma, a diretora do Agrupamento de Escolas de Arouca Amélia Brandão fez um aviso à comunidade escolar que o Discurso Directo transcreve na íntegra.

“Sabemos que este regresso é muito aguardado por toda a comunidade escolar, pelo que é essencial que todos cumpram as normas de conduta e regras de etiqueta respiratória.

Os alunos do 2.º e 3.º ciclos do ensino básico regressam às atividades letivas no dia 6 de abril [calendário semestral] e o ensino secundário no dia 19 de abril.

No mesmo Conselho de Ministros foram estabelecidas as medidas extraordinárias relativas a avaliação externa e conclusão de ciclos e níveis de ensino, destacando-se as seguintes informações:

    • O cancelamento das provas de aferição e das provas finais de ciclo do 9.º ano.

    • A conclusão do ensino secundário e o acesso ao ensino superior fazem-se exatamente nos mesmos termos do ano letivo passado. Ou seja:

    • Os alunos terminam o ensino secundário com a classificação interna, isto é, não fazem exames para conclusão e certificação;

    • Os alunos inscrevem-se e realizam apenas as provas de ingresso que pretendem.

A escola sede continua a funcionar como escola de acolhimento, para a receção e acompanhamento dos alunos dos outros níveis de ensino, salvaguardados nos normativos legais.

Arouca, 12 de março de 2021

A Diretora

Amélia Rodrigues

O Governo aprovou, em Conselho de Ministros, no dia 11 de março, uma estratégia gradual de levantamento de medidas de confinamento no âmbito do combate à pandemia da doença COVID-19, nos termos da qual definiu o dia 15 de março como data de retoma das atividades em regime presencial da educação pré-escolar e do 1.º ciclo do ensino básico.

Neste sentido, cumpre reforçar a necessidade de manutenção de todos os cuidados no que respeita ao cumprimento das normas estabelecidas para o funcionamento do ano letivo 2020/2021.

Sabemos que este regresso é muito aguardado por toda a comunidade escolar, pelo que é essencial que todos cumpram as normas de conduta e regras de etiqueta respiratória.

Os alunos do 2.º e 3.º ciclos do ensino básico regressam às atividades letivas no dia 6 de abril [calendário semestral] e o ensino secundário no dia 19 de abril.

No mesmo Conselho de Ministros foram estabelecidas as medidas extraordinárias relativas a avaliação externa e conclusão de ciclos e níveis de ensino, destacando-se as seguintes informações:

    • O cancelamento das provas de aferição e das provas finais de ciclo do 9.º ano.

    • A conclusão do ensino secundário e o acesso ao ensino superior fazem-se exatamente nos mesmos termos do ano letivo passado. Ou seja:

    • Os alunos terminam o ensino secundário com a classificação interna, isto é, não fazem exames para conclusão e certificação;

    • Os alunos inscrevem-se e realizam apenas as provas de ingresso que pretendem.

A escola sede continua a funcionar como escola de acolhimento, para a receção e acompanhamento dos alunos dos outros níveis de ensino, salvaguardados nos normativos legais.

Arouca, 12 de março de 2021

A Diretora

Amélia Rodrigues”