“Arouca. Comunidade ativa contra a violência” é o mote para a conversa em rede que a Rede Social concelhia, a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Arouca e o Município de Arouca promovem no próximo dia 16 de março, pelas 15h00, via plataforma Zoom. A sessão destina-se aos interlocutores de primeira linha na intervenção social, nomeadamente os parceiros da Rede Social e a CPCJ, e também está aberta à participação da comunidade em geral. A inscrição é obrigatória e deve ser feita através dos emails  redesocial@cm-arouca.pt ou cpcj@cm-arouca.pt

O objetivo desta conversa em rede é refletir sobre a problemática da violência doméstica que, em tempos de confinamento, constitui um desafio acrescido. Pretende-se ainda reforçar estratégias de intervenção, reforçar os circuitos de apoio às vítimas e divulgar a estrutura local de apoio a vítimas de violência doméstica e de género a funcionar no Gabinete Via Verde Social da autarquia.

A sessão será dinamizada pelo Espaço Trevo, entidade parceria do município na implementação da estrutura de apoio às vítimas de violência.

Sobre a estrutura de apoio a vítimas de violência doméstica e de género

Desde setembro de 2020 que o Município de Arouca dispõe de uma estrutura de apoio a vítimas de violência doméstica e de género. O objetivo é assegurar o acompanhamento e intervenção rápidos em situações de violência.

O atendimento às vítimas é realizado às quartas-feiras, entre as 9h30 e as 12h30, no Gabinete Via Verde Social (Av. 25 de Abril), pela equipa da cooperativa de solidariedade social Casa dos Choupos. O atendimento é agendado após o contacto telefónico por parte da vítima, que pode ser feito através dos seguintes números: 256 365 665; 919 680 097; 964 184 860.

Esta estrutura de apoio vem reforçar o apoio que os serviços sociais da autarquia vinham assegurando e surge na sequência da assinatura do Protocolo para a Territorialização da Rede Nacional de Apoio às Vítimas de Violência Doméstica entre o Governo, os municípios que integram a Associação de Municípios das Terras de Santa Maria – Arouca, Espinho, Oliveira de Azeméis, Santa Maria da Feira, São João da Madeira e Vale de Cambra – e a Casa dos Choupos – Espaço Trevo.

O protocolo tem permitido potenciar a rede local de parcerias com o intuito de promover a inclusão social e combater a pobreza e a discriminação de pessoas vítimas de violência de género e violência doméstica, contribuindo para a promoção da sua segurança, capacitação e autonomia. CMA