Em resposta ao comunicado do PS Arouca, o Partido Social Democrata do concelho emitiu também um comunicado onde fala do “desespero de Margarida Belém para mostrar serviço” e pede que a edil assuma o erro “da sua votação e do seu partido – os únicos que sempre votaram favoravelmente à concessão das águas”. Um comunicado que transcrevemos na íntegra.

“Fomos surpreendidos no passado dia 22 de fevereiro por um e-mail enviado aos vereadores do PSD com um rol de documentos extensos, com centenas de páginas, para estudarem uma proposta a ser debatida no dia seguinte. Por mais recorrente que possa parecer este comportamento do executivo PS, a verdade é que, aquando da consulta dos documentos em causa para tão urgente reunião, os vereadores do PSD Arouca constataram que a Câmara Municipal já tinha em sua posse esses mesmos documentos desde o dia 14 de dezembro de 2020, há precisamente 71 dias!

Nunca, em momento algum, esteve em discussão na reunião de Câmara Municipal a saída da empresa Águas do Norte por parte do Município de Arouca. A Câmara limita-se a declarar, a exemplo do que fez na última Assembleia Municipal, que eventualmente poderá sair com o acordo entre as duas partes. Aliás, o desespero para “mostrar serviço” é tão grande, que a proposta apresentada por Margarida Belém mais não é do que uma cópia, ipsis verbis, da proposta aprovada no passado dia 17 de fevereiro noutra Câmara Municipal que faz parte da mesma parceria. Pior, Margarida Belém foi membro efectivo durante um largo período da Comissão de Parceria do Sistema de Águas da Região do Noroeste, sendo que nesse período nunca em momento algum tomou qualquer posição sobre esta matéria.

Vem agora o PS Arouca, pela voz do seu presidente, tentar em comunicado, por incrível que possa parecer, depois de uma contínua política de “separar as águas” protagonizada por Margarida Belém e o PS Arouca, falar em “muros” e em “taticismo político”. Num assunto onde seria importante a união, o PS Arouca e Margarida Belém persistem na divisão. Quem esteve do lado errado, desde o início do processo até há bem pouco tempo, foi o PS e a maioria socialista do Executivo. Se há uma causa que uniu os arouquenses e não os dividiu, essa causa é a injustiça que sentimos pelo elevado preço da água!

O repto do PSD Arouca é claro: Margarida Belém, tenha coragem, assuma o erro da sua votação e do seu partido – os únicos que sempre votaram favoravelmente à concessão das águas – e resolva de uma vez por todas o problema dos preços escandalosos.

Nessa altura, quando tiver, de facto, uma posição concreta para ser votada, respeitando aquilo que é o papel do escrutínio da oposição, numa proposta que determine, por exemplo, se saímos ou não das Águas do Norte e quais as condições para a concretização dessa decisão. Nesse momento não existirão dúvidas, com toda a certeza saberemos muito bem qual será o nosso sentido de voto”.

A Comissão Política do PSD Arouca