Os pais que tenham filhos na escola até ao final do 1º ciclo e as famílias monoparentais vão poder optar entre estar em teletrabalho ou receber o apoio à família, referiu esta segunda feira a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

Ana Mendes Godinho, em conferência de imprensa após a reunião de concertação Social, disse que vão passar a existir “três situações” em que essa opção (apoio à família) será possível, sendo uma delas o caso das famílias monoparentais, a dos pais que têm a cargo crianças “até ao final do primeiro ciclo” e ainda as famílias “em que haja a cargo uma pessoa dependente com deficiência igual ou superior a 60% de incapacidade”.

A ministra explicou que estas alterações ao apoio à família, que estiveram em vigor em 2020 e que foram reativadas em janeiro devido ao encerramento das escolas, vão ser discutidas no Conselho de Ministros, na quinta-feira, e que o objetivo é que entrem em vigor “o mais depressa possível”.