A Câmara Municipal de Castelo de Paiva anunciou que vai proceder ao reforço das medidas de apoio social no concelho, no âmbito da pandemia Covid-19. O objetivo passa pela “proteção da saúde, pelo apoio social às famílias e também no auxílio à economia local, com a criação de uma série de iniciativas municipais nas várias áreas de atividade”.

O vereador com o Pelouro da Ação Social da Câmara Municipal de Castelo de Paiva, José Manuel Carvalho, refere que, na gestão municipal, as principais dificuldades foram verificadas “no quotidiano de todos os paivenses. Continuamos a fazer tudo o que está ao nosso alcance, imbuídos num espírito solidário, para ajudar a nossa população e manter a comunidade protegida, apoiada e com esperança de que vamos conseguir ultrapassar este momento difícil”.

Neste seguimento, e tendo em conta as iniciativas municipais realizadas ao longo do ano de 2020, a autarquia viu a necessidade de reforçar essas medidas. Assim, ao nível da alimentação, a autarquia vai continuar a disponibilizar refeições diárias aos alunos dos escalões A e B, durante o período de encerramento das escolas. Vai também disponibilizar espaços escolares e recursos que assegurem a resposta aos educandos dos trabalhadores dos setores essenciais.

“Vai manter a afetação de colaboradores municipais e garantia de transporte à equipa de Saúde Pública do ACES Vale do Sousa Sul, para trabalharem sob orientação funcional da Delegada de Saúde e no Programa Nacional de Vacinação”, foi também explicado pelo autarca.

De entre as medidas, nota também para a criação da linha específica de APOIO SOCIAL (através do contacto 910 718 517) com uma equipa de apoio social constituída para o efeito e que integra técnicos do município e voluntários das diversas áreas. Em parceria com as IPSS e juntas de freguesia, o serviço providencia apoio a idosos, famílias com pessoas com deficiência, doentes crónicos, oncológicos e famílias a quem seja imposto o isolamento profilático, sem retaguarda familiar e ou institucional, bem como apoio psicológico e social à população.

Destaque de igual modo para o reforço financeiro do Cheque Farmácia, com vista à eventual comparticipação nas despesas em medicação a famílias afetadas pelo COVID-19 que tenham enquadramento no âmbito do regulamento desta medida. Também a Loja Social foi reforçada financeira e logisticamente com vista a garantir a atribuição de um apoio alimentar, a conceder durante o estado de emergência, a indivíduos e/ou a agregados familiares que devido à pandemia COVID 19 tenham enquadramento nesta medida.

No que à tarifa social diz respeito, o município anunciou que , às faturas dos meses de dezembro de 2020, janeiro e fevereiro de 2021, se aplique o tarifário social previsto no respetivo regime tarifário. Esta abrange os consumidores não domésticos (comércio e indústria) no âmbito da prestação do serviço de abastecimento de água, do serviço de saneamento de águas residuais urbanas, e do serviço de recolha e deposição de resíduos sólidos urbanos.

Ao nível do arrendamento comercial regista-se a redução de 50% do valor das rendas decorrentes do arrendamento comercial de instalações propriedade da câmara municipal relativas aos meses de janeiro, fevereiro e março de 2021.

Por sua vez, as IPSS concelhias vão poder contar com a atribuição de um apoio financeiro extraordinário, correspondente aos meses de janeiro, fevereiro e março de 2021, a distribuir em função das respostas sociais prestadas, número de funcionários e utentes afectos a cada uma das instituições. Já os Bombeiros Voluntários de Castelo de Paiva são contemplados com a atribuição de um apoio financeiro extraordinário correspondente aos mesmos meses, bem como com a cedência de material de protecção individual – medida extensível às IPSS

“O ano de 2020 colocou-nos à prova a todos e, mais do que nunca, tivemos que provar a capacidade de resiliência, de sentido de responsabilidade e de comunidade. Tudo o que fizemos teve reflexo nas nossas vidas, mas também na vida daqueles que nos rodeiam”, referiu neste âmbito o vereador José Manuel Carvalho.

O autarca acrescenta que o serviço prestado pelo município “só faz sentido quando se procura resolver os problemas da pessoas, da comunidade, zelando para que todos tenham uma vida digna”. AV