O Discurso Directo esteve à conversa com Almerindo Costa, presidente do Grupo Desportivo Santa Cruz de Alvarenga, clube de Arouca, que integra o Campeonato SABSEG e se encontra no 1º lugar da tabela classificativa. O balanço do mandato, as expetativas para a temporada, o aparecimento da Covid-19, as maiores dificuldades do clube e os objetivos para o futuro, foram alguns dos temas abordados.

Discurso Directo (D.D.): Há quanto tempo é presidente da direção do Alvarenga? Que balanço faz do seu mandato?

Almerindo Costa (A.C.): Desde 2016 que tenho o prazer de colaborar em diferentes funções na Direção do G.D.S.C. Alvarenga dos quais os dois últimos anos como vice-Presidente. Na última Assembleia geral do clube cometi a loucura de em pleno cenário de pandemia aceitar o repto lançado pela restante equipa para presidir a esta direção para o biénio 2020/23.

O balanço que faço dos quatro meses desta direção é francamente positivo, desde logo e em primeiro lugar porque consegui constituir uma equipa séria, unida, trabalhadora e comprometida com os objetivos do clube.

Em 2º lugar por termos conseguido/estabelecido um completo alinhamento com a direção da SAD do G.D.S.C.A. no que a objetivos, responsabilidades, obrigações, funções e tarefas diz respeito, condição “sine qua non’’ para a persecução das nossas metas.

Em terceiro lugar e seguramente a mais importante das condições foi e será, mais uma vez a resposta afirmativa dos parceiros Institucionais (Câmara Municipal de Arouca e Junta de Freguesia de Alvarenga) e comerciais, quer através dos apoios às coletividades quer ao nível das receitas da publicidade estática no estádio e da sponsorização do Estádio e equipamentos. A todos fica aqui o nosso maior agradecimento.

D.D.: Com quantos jogadores conta atualmente? Chegaram reforços?

A.C.: Neste momento o plantel conta com 22 jogadores, transitando 9 atletas da época passada.

D.D.: Quais são as expectativas para esta época?

A.C.: Como primeiro objetivo diria honrar o bom nome e imagem de Alvarenga, como segundo objetivo e assim que a situação de pandemia nos permita, proporcionar bom futebol e alegrias a todos os sócios e simpatizantes de Alvarenga.

Como terceiro objetivo e respondendo mais diretamente à sua questão, as expectativas passam por nos classificarmos nos primeiros quatro lugares do campeonato Sabseg zona norte da AFA, para numa segunda fase discutirmos acesso às competições nacionais, embora o 1º objetivo seja fugir da fase de despromoção.

D.D.: Qual é o ambiente que se vive entre direção, equipa técnica, jogadores e até adeptos tendo em conta a Covid-19? De que forma é que a pandemia afetou o vosso trabalho?

A.C.: O ambiente que se vive nos bastidores, equipa técnica, plantel e direção é muito bom, um ambiente saudável onde por paradoxal que pareça a pandemia serviu para unir e focar ainda mais o plantel nos objetivos. Diria que os principais prejudicados são mesmos os adeptos que estão impedidos de ver a sua equipa a competir.

D.D.: Com que apoios conta?

A.C.: Como referido anteriormente, contamos com os apoios institucionais da Câmara Municipal de Arouca e da Junta de Freguesia de Alvarenga, apoios absolutamente fundamentais para a sobrevivência deste clube.

Contamos igualmente com os nossos parceiros comerciais (publicidade estática) e os nossos sponsores do Estádio Reinaldo de Noronha e equipamentos.

D.D.: Quais são as maiores dificuldades do clube?

A.C.: Eu creio que o facto de sermos uma freguesia com pouco mais de 1000 habitantes, sem indústria e ainda por cima situada no extremo norte do distrito de Aveiro responde um pouco a esta questão, sobretudo quando competimos ‘contra’ vilas e cidades.

D.D.: Quais são os objetivos para o futuro?

A.C.: Consolidar a parceria entre o G.D.S.C.A. e SAD do G.D.S.C.A. e continuar a proporcionar bons níveis de futebol a todos os sócios e simpatizantes.

D.D.: Podemos esperar alguma alteração ao nível das infraestruturas?

A.C.: O estádio Reinaldo de Noronha de Alvarenga é claramente um equipamento que orgulha os Alvarenguenses e impressiona quem nos visita e está neste momento ao nível dos melhores recintos para a prática do futebol do distrito de Aveiro.

Nos últimos quatros anos fizemos intervenções significativas no estádio, recordo-me por exemplo da estrutura de postes e redes de proteção à volta do estádio, construção da nova bilheteira, construção de torre/paiol de imprensa.

Para este ano iniciamos já a 1ª fase da rega automática com a colocação dos dois primeiros aspersores.

D.D.: Como vê o atual momento do futebol distrital?

A.C.: À semelhança de todos os outros setores vejo o futebol distrital a passar muitas dificuldades e a tentar sobreviver aos efeitos desta pandemia, até quando…