F.C. Arouca perde no regresso à II Liga

Seis meses depois da interrupção dos jogos devido à Covid-19, o Futebol Clube de Arouca regressou aos relvados. Quando a competição foi suspensa, e depois dada por concluída, o Vizela liderava a Série A, com 60 pontos, e o Arouca era o primeiro da Série B, com 58, enquanto o Olhanense comandava a Série D, com 57, e o Praiense liderava a Série C, com 53.

O Vizela (Série A) e o Arouca (B), os dois clubes que totalizavam mais pontos na altura da suspensão do Campeonato de Portugal, foram indicados pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF) para ascender a II Liga, decisão anunciada no passado dia 2 de maio pela FPF.

No regresso às competições e já na II Liga, o F.C. Arouca deslocou-se ao terreno do G.D. Estoril Praia onde, num jogo sem público, alcançou a primeira derrota, por 1-0, no Estádio António Coimbra da Mota.

O golo do Estoril foi marcado logo no primeiro minuto. Depois de um cruzamento de João Diogo, o reforço André Vidigal apareceu no segundo poste e marcou o único golo da partida.

Já perto da meia hora de jogo André Vidigal teve nova oportunidade a favor da equipa da casa, mas não conseguiu concretizar. Também a formação arouquense teve várias oportunidades para chegar ao empate: primeiro Pedro Moreira falhou o alvo depois de um livre de Thales; depois Heliardo também fez um remate perigoso, mas o guarda-redes adversário estava atento.

Na segunda parte Armando Evangelista mexeu na equipa, fazendo entrar Leandro, mas a partida não sofreu grandes alterações. O jogo baixou de intensidade e o Estoril geria o resultado, enquanto o Arouca tentava criar desequilíbrios, mas sem sucesso. 1-0 foi o resultado final, num jogo que ficou marcado por contar com uma equipa de arbitragem única: a assistente Vanessa Gomes tornou-se na primeira mulher assistente num jogo dos escalões profissionais, ou seja, da I ou II Liga masculina.

O F.C. Arouca encontra-se até ao momento no 15º lugar da tabela classificativa, com 0 pontos. Já o Estoril ocupa o 4º da lista, com 3 pontos.

No próximo dia 19 de setembro, o Arouca recebe o Leixões, no Estádio Municipal de Arouca, às 15h30.

G.D. Estoril Praia

F.C. Arouca

1

0

1 Ao intervalo 0

Daniel Figueira

Victor Braga

João Diogo

Thales Oleques

Hugo Basto

João Basso

Hugo Gomes

Brunão

Joãozinho

Joel Ferreira

João Gamboa

Pedro Moreira

Loreintz Rosier (Miguel Crespo, 90’)

Marco Soares (Leandro Silva, 46’)

Zé Valente (Cícero Alves, 82’)

Nuno Rodrigues (Anthony Blondell, 64’)

Bruno Lourenço

Adílio Santos

Yakubu Aziz

Heliardo

André Vidigal (Paulinho, 65’)

André Bukia

BRUNO PINHEIRO

ARMANDO EVANGELISTA

GOLOS: André Vidigal (1’).

DISCIPLINA: Cartão amarelo para Hugo Basto (3’), Pedro Moreira (14’), João Gamboa (42’), João Diogo (68’), Heliardo (90’) e André Bukia (90+3’).

Conferência de Imprensa

Armando Evangelista (F.C. Arouca): “Há uma coisa que nos deixa satisfeitos, é que regressamos e estamos a competir. Gostaríamos que houvesse público, porque o público faz parte do espetáculo e é um factor de motivação, mas é um passo de cada vez porque a fase que estamos a passar não é fácil.

As expectativas depois deste tempo de pré-época eram de fazer um bom jogo, conseguir pontos e não estamos contentes por não termos conseguido. Se não tivesse existido aquele primeiro minuto de jogo poderia estar aqui a falar de outra forma. Poderíamos estar a falar de um Arouca dominador, porque pelas situações que criamos perto da baliza acho que merecíamos fazer golos. Estamos aqui perante duas equipas que vão fazer um excelente campeonato, porque o que demonstraram aqui numa primeira jornada deixa indícios de que podem fazer um campeonato fantástico.

O Arouca não tem o plantel fechado, estamos à espera de acrescentar mais alguma coisa. Dentro daquilo que tínhamos à disposição em termos ofensivos, era o mais óbvio ter feito as substituições que fiz, porque os jogadores que tinha, não se enquadravam naquilo que o jogo estava a pedir”.

Bruno Pinheiro (G.D. Estoril Praia): “Hoje poderíamos ter tido um apoio na bancada que seria determinante pata manter o resultado, que acabou por ser favorável, mas teria sido um extra para os jogadores. Obviamente não é a mesma coisa jogar com e sem adeptos e é óbvio que todos queremos respeitar as normas da Direção Geral de Saúde, não se pode brincar com esta pandemia, mas por outro lado também acreditamos que existem estádios com condições para receber adeptos, é uma questão de se definir regras e orientações da DGS.

O Estoril que eu esperava era o Estoril dos primeiros dois minutos durante muito mais tempo, que esse é que é suposto ser o nosso ADN, mas foi uma equipa solidária, que se defendeu, que teve muita entreajuda e acabou por ganhar três pontos na luta, quando o poderia ter feito com um pouquinho mais de bola, que seria essa a intenção. Acho que esta vitória é fundamental para o espírito da equipa, vai ajudar o Estoril a crescer e dá mais confiança. Somos esta equipa em termos de humildade, atitude e querer, em termos futebolísticos somos mais que isto e iremos mostrá-lo ao longo da época”.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.