Decorreu ontem, dia 29 de junho, na Loja Interativa de Turismo de Arouca, a Assembleia Municipal, presidida de novo pelo Secretário, Carlos Esteves, dada a ausência do Presidente da Mesa, Artur Neves.

A sessão ficou marcada pelo pedido de suspensão de mandato de Artur Neves que viria a ser aprovado por maioria dos deputados (houve duas abstenções), por um período de três meses, podendo ser “antecipado ou prorrogado em função da evolução da pandemia e da normalização da nossa vida coletiva”. Tal pedido prende-se com o facto de não conseguir compatibilizar a atividade profissional com o cargo autárquico.

Também as contas foram aprovadas por maioria, com a abstenção do PSD. Joana Brandão foi eleita para a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens.

Foi ainda apresentado o plano estratégico de Arouca 2030, que mereceu uma longa análise do deputado do PSD, Artur Miller, que acabaria também por fazer algumas propostas.

Luís Filipe Teles, presidente de junta de Alvarenga, questionou para quando será a abertura da ponte pedonal suspensa, sendo que Margarida Belém afirmou que a inauguração foi novamente adiada e está prevista para outubro.

As questões ambientais acabaram também por marcar o Período Antes da ordem do Dia, com especial relevância para a poluição no rio Paiva. A falta de transportes públicos foi também uma dos pontos trazidos a debate por vários autarcas, como reflexo de uma preocupação crescente da população. A Presidente da Câmara mostrou empenho em resolver o assunto apesar de, como lembrou, essa ser uma competência da Área Metropolitana do Porto.

Mais desenvolvimentos na edição impressa