Em comunicado publicado ontem, dia 8 de abril, a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) fez saber que estão concluídas as provas nacionais não-profissionais. Depois de reunir, por teleconferência, com as associações distritais e regionais para análise do impacto da pandemia COVID-19 no futebol sénior não-profissional, a “FPF entende que continuam a não estar reunidas as condições de saúde pública para que clubes com estruturas amadoras, como é próprio das provas em que participam, possam treinar e competir em segurança”.

Tendo em conta o estado de Emergência que se manterá pelo menos até 17 de abril, “estas circunstâncias impedem o normal decurso das competições, sendo imprevisível antever quando e se tais condições de saúde pública estarão reunidas ainda durante esta época desportiva”.

Assim, a Direção da FPF entendeu dar por concluídas, sem vencedores, todas as suas competições seniores que se encontram nesta data suspensas, não sendo atribuídos títulos nem aplicado o regime de subidas e descidas”, afirmou a FPF no mesmo comunicado, acrescentando que “analisará e comunicará com a maior brevidade possível de que forma serão indicados os dois clubes que acedem à II Liga de futebol, bem como os representantes de Portugal na Liga dos Campeões de futebol feminino e de futsal masculino”.

Em comunicado publicado nas redes sociais, o Futebol Clube de Arouca defende que “não poderá haver outra forma de avaliar a indicação dos dois clubes que não seja com base na meritocracia classificativa à data da suspensão. Isto é, a Federação Portuguesa de Futebol deve indicar os dois clubes que conseguiram obter melhor resultado classificativo (entenda-se mais pontos) à data da suspensão da competição. Pois só desta forma se poderá garantir e valorizar a dedicação, esforço e mérito dos jogadores que compõem as equipas nesta competição e, consequentemente, a verdade desportiva”.