No próximo sábado, 29 de fevereiro, no âmbito das “Conferências de Arouca”, o Círculo Cultura e Democracia promove uma conversa com os psiquiatras Fernanda Mendes e Júlio Machado Vaz sobre “como vai o amor”. Terá lugar às 17 horas no auditório da loja de turismo de Arouca.

As alterações culturais e sociais, o ritmo acelerado da vida que nos é imposto, influenciaram o surgimento de diversos formatos de relacionamento amoroso, que não passam necessariamente pelos modelos tradicionais. O casamento e o namoro tradicionais – heterossexuais e monogâmicos – deixaram de ser o único modelo de relacionamento existente, com o aparecimento de novos tipos de relações amorosas, incluindo a substituição das relações amorosas físicas por relações virtuais.

Nos relacionamentos afetivos e amorosos modernos, procura-se viver o momento, sem fazer planos para o futuro, priorizando a qualidade das relações. Nas relações informais, o compromisso deixa de ser uma condição para o sucesso da relação. O aumento do número de divórcios, o adiamento do casamento e da maternidade marcam também os dias que correm.

Em que medida estas alterações nas relações afetivas e amorosas estão a ter impacto na nossa forma de viver em sociedade?

Estes e outros tópicos serão abordados nesta conversa entre os dois psiquiatras e com o público.

Maria Fernanda da Silva Mendes

Nasceu em Canelas – Arouca, em 1947. Emigrou com a família para o Brasil, em 1953, onde fez os estudos básico e secundário. Médica psiquiatra, pela U. de Coimbra, reside nos Açores, desde junho de 1985. Exerceu as atividades: clínica, onde foi responsável pela consulta Terapia de Casal e Sexologia, e de gestão hospitalar, no hospital de Ponta Delgada (1985/1996). Deputada à Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, nas legislaturas de 1996, 2000, 2004, e Secretária Regional dos Assuntos Sociais (2000/02). Publicou os livros: Sexualidade Redonda e Circular (2014) e Fios Tecidos ao Vento (2018). Desde 2018 tem colaborado, mensalmente no programa A Praça da Alegria, RTP1, com a rubrica Sexualidade e Afetos.

Júlio Machado Vaz

Nasceu no Porto, em 1949. Médico psiquiatra, professor universitário e autor de quase vinte livros, colabora há várias décadas com a imprensa, a rádio e a televisão. De entre os livros que publicou, destaca-se: ‘Era uma Vez um Professor’; na rádio, marcou gerações com ‘O Sexo dos Anjos’; e, na televisão, ninguém esquece ‘Sexualidades’. ‘À Escuta dos Amantes’ é o seu segundo livro na Contraponto, depois do êxito ‘O Amor É’ (3.ª edição), publicado em coautoria com Inês Meneses.