Foram milhares as pessoas que participaram na 9º edição do Festival da Castanha, que decorreu no passado fim de semana, nos vários espaços da Vila de Arouca. Terra de tradições e costumes, Arouca lembra anualmente a lenda de São Martinho e, durante três dias, homenageia a castanha e o castanheiro. Com um programa diversificado, a edição deste ano contou com atividades para miúdos e graúdos.

Apesar do Festival da Castanha ter decorrido entre os dias 25 e 27 de outubro, algumas atividades tiveram início já durante a semana, no dia 23, com os concursos ‘Melhor Castanha de Arouca’ e ‘Melhor Mel de Arouca’, na Biblioteca Municipal. No dia 24 houve também sessões de ‘Leituras Outonais’, para as escolas do município.

O primeiro dia oficial do Festival da Castanha teve início com o seminário ‘Pastorícia e sustentabilidade’, onde participaram cerca de 40 pessoas e onde se abordaram temas como a convivência entre o lobo ibérico e o gado, as cabras guardiãs da Serra do Açor e os baldios da freguesia de Alvadia. Realizou-se também a saída interpretada ‘Soutos do vale de Arouca’, orientada por Augusto Assunção. No início da tarde decorreu o habitual magusto intergeracional, com animação a cargo da Academia Sénior de Arouca, e a confeção de bolos e broa caseira deixaram o cheio a castanha assada e os aromas de outono no ar. Foi ainda inaugurada na Biblioteca Municipal a exposição ‘A castanha – conservação e transformação’. O VII Concurso Gastronómico foi um dos pontos altos do dia 25, trazendo mais sabor ao evento, com dezenas de pratos a concurso. Foram depois conhecidos os resultados dos restantes concursos – ‘melhor mel’ e ‘melhor castanha’ -, no Terreiro de Santa Mafalda. Também o espetáculo de concertinas realizado na Avenida 25 de abril e o concerto protagonizado pelo grupo ‘Galandum Galundaina’, na Praça Brandão de Vasconcelos, marcaram o primeiro dia do certame. A festa continuou noite dentro com as atuações dos DJ’s Quim das Bifanas, Mário Henrique e Aviers.

No segundo dia do Festival, intensificaram-se as atividades. O dia começou bem cedo, com o percurso pedestre ‘Caminhos do Sol Nascente’, onde os duzentos participantes tiveram a oportunidade de descobrir os soutos da freguesia de Moldes. Decorreu depois a saída micológica, no lugar de Povos, orientada pelo Engº Augusto Pais, onde os participantes aprenderam as técnicas da apanha do cogumelo e se identificaram os cogumelos comestíveis. Os cogumelos foram depois, já durante a tarde, confecionados no showcooking ‘Castanhas e Cogumelos de Arouca’ com o chef Nuno Queiroz Ribeiro, que ensinou algumas receitas onde as estrelas principais foram os cogumelos e as castanhas.

O dia 26 ficou ainda marcado pelas atividades noturnas, que tiveram início com o espetáculo de concertinas. Teve depois lugar o habitual magusto na Avenida 25 de Abril, onde não faltaram as castanhas assadas, e o concerto da banda do filme ‘Variações’. A noite continuou, mais uma vez, com as participações dos DJ’s Quim das Bifanas e Gaiteirinho, no Terreiro de Santa Mafalda.

Com a chegada do domingo chegou também ao fim a nona edição do Festival da Castanha. O último dia começou com o passeio BTT ‘Rota do Ouriço’, evento que reuniu dezenas de pessoas que percorreram alguns dos trilhos mais interessantes do território arouquense. Durante a manhã decorreu ainda a oficina ‘Educar-te em família’, no Parque Municipal.

À tarde, realizou-se um workshop de Folclore onde participaram miúdos e graúdos, o magusto tradicional e o baile do ouriço, com a atuação do agrupamento musical ‘Sondagem’.

Ao longo dos três dias de Festival da Castanha, houve também a Feira dos Produtos Regionais, Agrícolas e Artesanato, Espaço de venda de bolos e broa caseira e o Pátio dos Petiscos. Uma festa que não deixou ninguém indiferente.