No passado domingo, dia 13 de outubro, decorreu em Chave, no edifício da antiga Escola do Tojal, um evento de apresentação do projecto “Por um espaço de encontro” em diálogo aberto com a comunidade orientado pelo seu autor, o arquitecto Sérgio Costa.

O debate participativo/intervenção popular incidiu sobre um estudo arquitectónico realizado por Sérgio Costa, natural desta freguesia, em contexto de dissertação do seu mestrado (Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto). Refira-se que Sérgio Costa (Arquitectura) e Daniela Pinheiro (Belas Artes) foram recentemente vencedores da quinta edição dos Prémios Viana de Lima, galardão este instituído ao abrigo de um protocolo estabelecido entre a Câmara Municipal de Esposende e a Universidade do Porto e que se destina a distinguir os melhores estudantes dos cursos de Arquitetura e de Belas Artes do Porto.

O estudo aí apresentado propõe a transformação deste edifício, recentemente restaurado pela associação TEA (Teatro Experimental de Arouca), à qual este espaço está actualmente cedido pela Câmara Municipal (associação residente), num espaço de encontro disponível às práticas culturais das associações desta freguesia, tendo sido muito bem apresentado com a exposição de desenhos e maquetas, mostrando uma experimentação que procura potenciar uma circunstância de arquitectura para a comunidade, numa estratégia de abertura e versatilidade de programa e investimento. A proposta demonstra várias possibilidades de intervenção, com aproveitamento total ou parcial do edifício, equacionando possibilidades de extensão.

Além da apresentação do arquitecto Sérgio Costa, o evento contou com a presença de imensas pessoas desta e de outras freguesias, várias associações locais e com várias intervenções, nomeadamente Prof. Dr. Arquitecto Manuel Mendes (orientador da dissertação), Presidente da Câmara Municipal de Arouca Drª Margarida Belém, Prof. Ilídio Brandão, Dr. José Luís Fevereiro (da Junta de Freguesia de Chave), João Paulo Brandão (presidente do TEA), Profª Teresa Vasconcelos, Drª Bonina Brandão (Semente de Futuro) e de Alice Miller.

Dadas as condições meteorológicas, destaca-se o esforço das várias associações organizadoras, bem como de outras que prontamente ajudaram, tal como a adesão da população que mostrou que o sentido de comunidade está vivo e com vontade de se envolverem. No final, a população foi brindada com um pequeno lanche, seguido de animação proporcionada pelo TEA e por um concerto musical da banda portuense, os[holo-].

Esperam-se novos desenvolvimentos deste projecto que me parece muito interessante para esta freguesia e não só, dada a excelente localização estratégica de Chave, onde a cultura, o lazer e o encontro intergeracional se podem agregar neste local e ser fonte de um maior desenvolvimento cultural.

Fernando Ferreira