Ligação rodoviária Escariz-A32 vai custar 30 milhões com adjudicação ao consórcio Ferrovial Agroman-ACA

A ligação rodoviária entre Escariz e a A32 vais custar 30.410.038 €. A adjudicação deverá ser feita ao consórcio Ferrovial Agroman, S.A. / Alberto Couto Alves, S.A, segundo o que aponta o relatório preliminar (a que o DD teve acesso) da empresa pública Infraestruturas de Portugal, e que foi conhecido na passada terça-feira.

Com um preço base de 32.500.000,00 € a este concurso público internacional visa a realização de uma empreitada relativa à EN 326 – Feira (A32/IC2) / Mansores, Trecho 1 – Feira (A32/IC2) / Escariz (km 0+000 ao km 7+141), que estabelecerá a ligação entre a A32/IC2, inserida na Concessão Douro Litoral, no atual Nó de Pigeiros, e o troço já construído da EN 326 entre Mansores e Arouca, “permitindo uma ligação mais direta, rápida e segura entre Mansores e Arouca e o litoral, nomeadamente a S. Maria da Feira, a S. João da Madeira e ao Porto pela A32, numa extensão de aproximadamente 7.141 m” – refere o referido documento.

Dos diversos concorrentes que se apresentaram a este concurso somente oito reuniram condições. De acordo com o critério de adjudicação estabelecido, o Júri considerou como “economicamente mais vantajosa para a execução da empreitada “EN326 – TRECHO 1 – FEIRA (A32/IC2) / ESCARIZ” a proposta apresentada pelo Concorrente n.º 11 – o consórcio FERROVIAL AGROMAN, S.A. / ALBERTO COUTO ALVES, S.A.”, pelo que propôs que a mesma lhe seja adjudicada, pelo preço de 30.410.038,00€, e com prazo de execução de oitocentos e setenta dias, a contar da data da Consignação, que ainda não é conhecida.

CARACTERÍSTICAS DA EMPREITADA

Na seção corrente da EN 326, entre o km 0+000 e km 4+080, o perfil transversal tipo adotado, é constituído por uma faixa de rodagem com uma via por sentido, com uma plataforma de largura total de 12.00 m, e é composto por:

  • Duas vias de circulação com 3.50 m de largura cada;
  • Duas bermas direitas com 2.50 m de largura, pavimentadas em toda a sua extensão, com a mesma inclinação transversal da faixa de rodagem.

Entre o km 4+180 e o km 7+141, o perfil transversal tipo estipulado é composto por uma via adicional num dos sentidos, perfazendo a plataforma, uma largura total de 13.75 m, e é composto por:

  • Duas vias de circulação com 3.50 m de largura cada e uma via de lentos com 3.25 m de largura;
  • Duas bermas direitas com 2.50 m e 1.00 m de largura, pavimentadas em toda a sua extensão, com a mesma inclinação transversal da faixa de rodagem.

A área de inserção do projeto caracteriza-se por ser uma zona de acentuado relevo, obrigando a que o traçado se desenvolva com parâmetros geométricos compatíveis com uma velocidade base de 80 km/h.

Em perfil longitudinal, o traçado apresenta inclinações máximas de 7%, tendo em função do estudo de tráfego, sido previstas três vias de lentos no sentido ascendente de modo a manter o nível de serviço pretendido.

Em termos de interligação com a rede viária existente, foram previstas duas ligações de nível, nomeadamente:

  • Ligação à rotunda do Nó com a A32 (Nó de Pigeiros), no início do traçado;
  • Rotunda de Escariz, que permite o acesso a Escariz.

Ao longo do seu desenvolvimento são atravessados diversos vales profundos e linhas de água, estando prevista a construção 5 obras de arte especiais (4 Viadutos e de uma Ponte).

De modo a repor a rede viária existente interferida com a construção da nova via, foi prevista a execução de 9 restabelecimentos, 2 associados à construção de Passagens Inferiores (PI), 2 a Passagens Agrícolas (PA), 3 a Passagens Superiores (PS) e os restantes sob a nova via em zona de Viaduto, não necessitando por isso de obra de arte específica.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.