Dores EMOCIONAIS

O artigo de hoje, alerta para as dores que nós criamos quando fortalecemos situações que de alguma forma trazem-nos sofrimento Compreendam que respeitar o que sentimos, não significa que temos que manter-nos por muito tempo estagnados a acontecimentos irreversíveis.

A dor emocional pode aparecer em qualquer momento e em diversas situações. Rompimentos de relacionamentos, mortes, decepção, entre outros tipos de acontecimentos, pois ressalta as emoções e desponta sensações de desespero.

Para algumas pessoas, a dor emocional é sentida com uma grandeza tão relevante, que o físico ressente e manifesta desequilíbrios subsequentes.

Músicas, poemas, imagens, são catalisadores para enfatizar a descrição da intensidade que cada um sente quando esta passando por uma situação traumática. Nesta fase, a pessoa fica totalmente apática.

Segundo pesquisas neuro-fisiológicas, esses sentimentos supostamente passageiros, refletem em nossos circuitos cerebrais, e através da ressonância magnética funcional, podemos perceber que a ativação de certas áreas do cérebro, reage conforme nossas emoções, dando desta forma suporte para Especialistas, Terapeutas e Psicólogos compreenderem o que se passa.

Em uma Universidade da Dinamarca, foi feito uma pesquisa com quase 1 milhão de pessoas sobre o risco de problemas cardíacos, nomeadamente arritmias, onde 41% foi atribuído à pessoas que perderam um cônjuge ou outra pessoa importante em sua vida, problemas financeiras, despedimentos, vítima de veemência de desastres naturais, ou seja, situações que resultaram em patologias, porém, iniciadas por um choque emocional.

As dores emocionais tem tanta relevância, que entre outras patologias psicossomáticas, achei interessante relatar que no inicio da década de 1990, pesquisadores japoneses referiram como síndrome do coração partido, ou síndrome de takotsubo (armadilha para caçar polvos que lembra a forma do coração, após o ataque), onde o perfil acomete principalmente mulheres acima dos 40 anos, entretanto, por ser uma síndrome de difícil diagnóstico, devido ser semelhante a outras e pouco conhecida, acredita-se que o percentual facultado é bem maior.

Essa síndrome do coração partido, é desenvolvida consequentemente por caso traumatizante, onde desencadeia no cérebro a produção de substâncias químicas que enfraquecem o tecido do coração.

Os sinais psicológicos que precedem o problema físico, são inatividade, sentimentos de desesperança, isolamento, depressão, sensação de que nada vale a pena.

Há casos que se a pessoa não avaliar os sintomas, a continuidade do mesmo, pode levar a pensamentos suicidas e consequências fatais.

Portanto… Cuidem da vossa mente e alimente bons pensamentos, desapegue daquilo ou de quem te faz mal, a vida sempre oferece opções, escolha a que te faz feliz.

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.