COMUNICADO | “Na reunião da Assembleia Municipal Arouca do último dia do mês de Fevereiro de 2019, o PSD Arouca, por intermédio do seu deputado municipal Artur Miler demonstrou grande preocupação com o sector do calçado em Arouca, referindo este que “As fábricas de calçado estão a passar por um período previsivelmente difícil devido à falta de encomendas. Verificamos que algumas pequenas empresas já mandaram funcionários para casa”. Deixando ainda o “alerta para a necessidade de se diversificarem mais os investimentos municipais”.

Após este período, a senhora presidente em declarações à Lusa e publicadas no DN de 20 de Março de 2019 não se mostrou preocupada com o facto de Arouca poder registar em pouco tempo 500 desempregados devido à enorme quebra que se tem vindo a registar na indústria do calçado, não só a nível local como a nível nacional.

A presidente da Câmara Municipal de Arouca, Margarida Belém, considera que a situação “não é alarmante”, até porque as 34 empresas de calçado registadas no concelho representarão um universo de “cerca de 500 trabalhadores” e esse número não pesará de forma significativa na taxa de desemprego local, mas reconhece que sete unidades se encontram em dificuldades.”

No nosso entender esta é uma situação de grande preocupação, pois a verificar-se o pior cenário, tratam-se de centenas de famílias que sofrerão com essa dura realidade com consequências directas na economia local.

Sendo certo que uma parte destes recursos humanos serão absorvidos por outros sectores de actividade, e que neste caso específico o Município pouco poderá fazer para auxiliar estas entidades, não deixamos de assinalar as declarações reveladoras de grande insensibilidade para com os problemas de empresários e colaboradores deste sector de actividade.”


PSD Arouca