A discussão havida nas reuniões da Câmara Municipal de Arouca sobre a energia eólica no município, iniciada já no ano anterior pelo Vereador social-democrata, Vítor Carvalho, foi marcada por uma posição trazida à reunião de Câmara, do passado dia 6, por parte do Vice-presidente, António Tavares. Tal levou o PSD a emitir, na passada terça-feira, um comunicado, enviado à nossa redação, e que transcrevemos na integra:

«No dia 4 de dezembro de 2018, no Período Antes da Ordem do Dia, o Vereador do PSD, Vítor Carvalho, apresentou, com todo o sentido de oportunidade, a questão dos parques eólicos, enquadrando a relevância destes equipamentos sobre diferentes perspetivas, inclusive a económica.

As razões e os fundamentos encontram-se na respetiva ata e foram reafirmados na resposta que este Vereador deu na reunião de hoje, dia 19 de Março, como resultado de uma inusitada investida da Presidente da Câmara, Margarida Belém, feita por interposta pessoa, e que nos merece a mais viva repulsa. A missão foi entregue ao seu Vice-presidente, António Tavares, que, na reunião do dia 6 de março, lhe fez o frete de ler uma missiva balofa e insensata, denegrindo e ofendendo o autarca social-democrata só porque este “ousou” analisar uma matéria, questionar e propor soluções.

Face a tal, o PSD de Arouca torna público o elevado apreço não só pela pessoa que é Vítor Carvalho, como pelo seu trabalho político sério e responsável, feito de entrega, dedicação e sentido de responsabilidade, em contraponto com a recorrente arrogância e prepotência de uma Presidente da Câmara cuja a notoriedade maior se evidencia na insensatez, no show-off, e numa confrangedora ineficácia para dar resposta aos verdadeiros problemas do município com graves prejuízos para todos os arouquenses».