OPINIÃO | A estrada do politicamente correcto…

Confesso que pequei por palavras, actos e omissões; chega do politicamente correcto, de ilusionismo, de vazio, vazio de sentido, vazio de conteúdo…

Chega de pecados por omissão, tanto show-off, tanta comunicação barata e balofa, tanto “ser os maiores da nossa quinta”.

Estamos fartos do “só sei que nada sei”, embrulhos, mais embrulhos e o tempo vai passando, como dizem os Xutos e Pontapés: “à espera que algo aconteça”.

Precisamos de gente séria, que não enrole, uma e mais uma e mais dez vezes… que não iluda os jovens, os empresários, os nossos pais… E nós, estamos a chegar ao momento que não somos capazes de prometer nada aos nossos filhos, pois por este andar eles não vão acreditar em nada do que lhes estamos a prometer.

Tanta conversa fiada, só queremos: a conclusão da famosa via estruturante que liga Arouca a Santa Maria da Feira.

Tantas promessas, tantos prazos, tantos erros, tantas justificações, tantos retalhos, tanta ilusão, tanto descrédito; fracos políticos, aqueles que não são capazes de dizer verdade, a não ser “palavra dada é palavra honrada”.

Esta situação faz-me lembrar uma história que o meu bisavô contava. Dizia ele na altura, que há 50 anos andaram aqui uns engenheiros a fazer umas marcações onde vai passar a estrada que vai ligar Arouca a S. Pedro do Sul. Desde pequeno fui ouvindo, várias marcações, vários trajectos (passava por baixo do lugar de Adaúfe, passava pelos campos de cultivo, passava por cima do lugar de Adaúfe!…) Pois, pois…só passado quase um século é que isso aconteceu, fruto do envolvimento, alinhamento e persistência da liderança de então e dos Arouquenses e das suas forças vivas.

Há cerca de 3 meses veio a correr a Arouca o Sr. Primeiro-Ministro com o seu Ministro do Planeamento e Infra-estruturas, que promete tudo e a todos. Projectos para aqui, infra-estruturas para ali, com o anúncio que parte da referida obra já está em concurso acabadinho de sair. São 540 dias para execução, e depois… afinal são 990 e depois são mais 51, por isto, ou por aquilo, enfim, como entoa Paulo de Carvalho “E depois do Adeus”… Já consta que nas próximas eleições europeias irá para Bruxelas, o ministro, não o Paulo de Carvalho!…

Sinceramente, gostava de ver se consta no Programa Nacional de Investimentos 2020/2030 a conclusão da parte, da parte que falta (Ligação de Ribeira/Tropeço a Escariz).

Chega de mentiras ou omissões, chega de propaganda balofa, e como diz o povo “agarre-se o touro pelos cornos”. Os Arouquenses merecem ser tratados de outra forma, os nossos empresários que já são uns heróis por criarem empresas, criarem postos de trabalho, criarem as condições para que as populações, para que os jovens planeiem a sua vida em Arouca, merecem a verdade.

Tenho-o dito várias vezes que o tempo dos políticos não é o tempo dos empresários, a tomada de decisões de investirem ou não, não se coaduna com o é amanhã, é depois da amanhã, é depois de depois de amanhã. Chega de opacidade na informação, propaganda, meias verdades; diria mesmo chega de informação falsa ou o vazio dela.

Texto de Vítor Carvalho 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.