Concerto de Natal volta a marcar pela qualidade superior

Fotos: Carlos Pinho

A Igreja do Mosteiro de Arouca voltou a acolher, no passado dia 29 de dezembro, o já tradicional Concerto de Natal, protagonizado pela Banda Musical de Arouca, pelo Grupo Coral de Urrô e pelo Orfeão de Arouca. Este ano, foram solistas a soprano arouquense Magda Brandão e o tenor Sérgio Martins, que fizeram brilhar as suas vozes com algumas das mais belas melodias de Natal e também do repertório lírico.

Sob a direção do maestro da Banda Musical de Arouca, Ivo Silva, e com um cenário fantástico, o Concerto de Natal é já, sem dúvida, um marco na cultura arouquense. O concerto começou com a execução de uma Fanfarra para metais, da autoria do compositor português Joly Braga Santos, seguindo-se uma obra coral, «Vamos a Belém», de Manuel Faria, o final da Pequena Sinfonia para Sopros, de Charles Gounod e a primeira obra executada em conjunto: o andamento final da Sinfonia n.º 4 de Joly Braga Santos, uma peça emblemática do repertório sinfónico português. Magda Brandão executou, com grande luminosidade, o Ave Maria de William Gomez e o tema «Never Enough», do filme «The Greatest Showman». Por seu turno, Sérgio Martins encheu o espaço com a sua voz, com o «Cântico de Natal», de Adolph Adam, e a aclamada ária «Nessun Dorma», de Puccini. Os solistas juntaram as vozes para um tema belíssimo, «The Prayer». O concerto terminou com duas obras de Afonso Alves, com intervenção dos coros e da Banda: «Contos da Lua Nova» e «Suite de Natal».

Foi assim mais um Concerto de Natal, um exemplo de como a cooperação entre as associações locais gera frutos de nível superior, fazendo lembrar, em muitos momentos, uma produção profissional. Estão de parabéns as entidades envolvidas e os respetivos responsáveis.

Concerto de Natal volta a marcar pela qualidade superior Concerto de Natal volta a marcar pela qualidade superior

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.