A porta do tempo volta a abrir-se, no Mosteiro de Arouca, para mais uma viagem ao passado. De 21 a 23 de julho, Arouca festeja a beatificação da Rainha Santa Mafalda, padroeira do município. Avizinham-se dias de festa em Arouca. Passeiam-se nobres, burgueses e populares. Abrem-se as tabernas, os artesãos e artistas trabalham nos seus ofí­cios, vendem-se produtos. A animação decorre com música barroca, arruadas de bombos, saltimbancos, bandas de música, contadores de histórias, bonecreiros e salteadores de estrada roubam às portas da vila. Arouca regressa aos tempos áureos do seu Mosteiro. De 21 a 23 de julho, centenas de figurantes, oriundos principalmente das instituições do concelho, vão dar vida a este regresso ao passado. Faça parte da história de Arouca!

PROGRAMA

Sexta-feira, 21 de julho

19h30 | Pregão – Pregoeiro toca a campa e anuncia a abertura do evento ao povo de Arouca.

19h35 | Charamela – Portão do Terreiro

19h40 | Abertura do Terreiro – Abrem-se as portas do Terreiro por ordem da Madre Porteira.

19h50 | Cerimonial da Entrega das Varas das Justiças – Após um sorteio realizado pelas mãos de uma criança, a Abadessa entrega as Varas do Poder Municipal.

20h15 | Abertura das Portas do Mosteiro – A vida quotidiana das monjas acontece em todos os espaços monásticos. Nos Claustros, nas Celas, na Cozinha, na Botica, na Enfermaria, na Rouparia, no Arquivo, na Porta da Caridade, na Sala da Cera e na Sala da Aprendizagem. Entoam-se cânticos e sente-se a oração silenciosa.

20h30 | Carlos Gimac, arquiteto, visita as obras do Mosteiro com o Padre Feitor.

20h45 | Casa do Despacho – Carlos Gimac apresenta planos das obras do Mosteiro.

21h00 | Locutório – Freira recebe familiar do Porto. Discute-se a gestão dos seus bens. O familiar tenta obter procuração.

21h20 | Bispo de Lamego e o Esmoler-Mor – Chegam a Arouca a convite da Abadessa do Mosteiro para os festejos da Beatificação.

21h35 | Porta da Caridade – Regularmente distribuí­am-se esmolas aos pobres.

21h45 | Abadessado – Um torneio poético começa depois do toque melancólico das trindades.

22h00 | Casa do Despacho – Bispo de Lamego informa a Abadessa da autorização papal para visita das monjas ao relicário da Rainha Santa.

22h15 | Frei Simão – É capturado pelas tropas do Capitão Vaz Pinto.

22h45 | Locutório – Prioresa recebe Procurador do Mosteiro e conversam sobre gastos da festa.

23h00 | Mosteiro – Encerram-se as portas do Mosteiro por ordem da Abadessa.

23h15 | Cortejo da Beatificação – Pelas ruas da Vila, o povo acompanha, em cortejo, a sua Rainha. No Cadeiral, ouve-se o órgão e as freiras cantam.

23h45 | Igreja – As monjas, com autorização papal, acedem à  Igreja para adorar a Rainha Santa.

00h00 | Fogo-de-artifí­cio da celebração da Beatificação

Encerramento | Arruada de Bombos

Sábado, 22 de julho

16h00 | Pregão e Charamela

16h15 | Abertura das Portas do Mosteiro – A vida quotidiana das monjas acontece em todo o espaço do Mosteiro.

16h20 | Locutório – Velho Fidalgo é recebido com surpresa pela Prioresa.

16h30 | Celeiro – Começam a chegar vários produtos para a Ceia dos Graves.

16h45 | Casa do Despacho – Abadessa recebe Procurador do Concelho de Vila Meã do Burgo para tratar da integração deste Concelho ao de Arouca.

17h10 | Locutório – Freira recebe familiar que relata possível chegada dos franceses às terras de Arouca.

17h25 | Porta da Caridade – É distribuí­do pão aos pedintes.

17h45 | Casa do Despacho – Major de brigada Luí­s Paulino informa a Abadessa sobre a defesa da Vila de Arouca.

18h05 | Abadessado – Uma espécie de torneio poético começava depois do toque melancólico das trindades.

18h25 | Celeiro – A madre celeireira pede auxílio para carregar relíquias do Mosteiro.

18h45 | Locutório – Mestra das noviças recebe seu primo. Esta informa-o que as monjas se preparam para fugir do Mosteiro. O primo propõe-lhe que esta fuja com ele.

20h00 | Ceia para ilustres convidados – No pátio dos comuns, será servido uma ceia de encerramento dos festejos da Beatificação para os graves ilustres que visitaram Arouca.

21h00 | Enfermaria – Uma monja é visitada no leito pelo Barbeiro Sangrador.

21h15 | Locutório – Cantora Mor recebe familiar e comenta temer pelos arquivos do Mosteiro. Pede-lhe para guardar e esconder alguns manuscritos.

21h30 | Procissão – As freiras, nos claustros, rezam à sua Rainha pedindo ajuda divina para a retirada das tropas francesas.

22h00 |Capítulo – Sob a Presidência da Abadessa, com a presença dos membros da comunidade religiosa, lê-se um capítulo da Regra Beneditina e fala-se da vida quotidiana do mosteiro.

22h30 | Roda dos expostos – É abandonada uma criança.

23h00 | Fuga das Freiras – Face à ameaça das invasões francesas, as freiras abandonam o Mosteiro de Arouca.

23h40 | Mosteiro – Fecham-se as portas do Mosteiro.

00h00 |Guerra peninsular – Luí­s Paulino combate as tropas francesas nos arredores de Arouca | Após 9 dias de luta, os franceses desistem. A Vila de Arouca festeja… 

Encerramento | Charamela e Desfile de Bombos

Domingo, 23 de julho

14h00 | Pregoeiro e Charamela

14h30 | Concerto de canto gregoriano e órgão: ‘Messe pour les Couvents’ pelo Orfeão de Arouca, na Igreja do Mosteiro

15h15 | Regresso das Freiras – Expulsos os franceses, as freiras regressam ao seu Mosteiro.

15h30 | Abertura das Portas do Mosteiro – A vida quotidiana das monjas regressa ao espaço monástico.

15h45 | Eleição da Abadessa – Os graves chegam a Arouca para a festa da eleição da nova Abadessa.

15h50 | Casa do Despacho – Abadessa agradece a Luís Paulino de Oliveira de França pela sua bravura sobre os franceses.

16h00 | Locutório – Freira chora junto do irmão e confessa não gostar da vida de clausura.

16h15 | Procissão – Realiza-se procissão no interior do Mosteiro para pedir ajuda divina para a escolha da nova Abadessa.

16h30 | Capí­tulo – Sob a Presidência da Abadessa, com a presença dos membros da comunidade religiosa, lê-se um capí­tulo da Regra Beneditina, fala-se da vida quotidiana do mosteiro e prepara-se a eleição da nova Abadessa

16h45 | Enfermaria – Padre-confessor visita freira doente, que se encontra em estado muito grave.

17h00 | Casa do Despacho – Velho Fidalgo é recebido pela Abadessa.

17h20 | Eleição – É escolhida a nova Abadessa.

17h50 | Abadessado – Uma espécie de torneio poético começava depois do toque melancólico das trindades.

18h00 | Casa do Despacho – Músicos atuam para a nova Abadessa.

18h15 | Episódio da Guerra Civil – O prisioneiro liberal Frei Simão de Vasconcelos parte escoltado para Lamego.

18h40 | Casa do Despacho – Nova Abadessa informa o Capitão Vaz Pinto da integração do Concelho de Vila Meã ao de Arouca por decisão régia.

18h45 | Enfermaria – Após vários dias de agonia, uma das freiras acaba por morrer. O padre dá a extrema-unção.

19h00 | Despique de bandas

19h30 | Mosteiro – Fecham-se as portas.

20h00 | Encerramento com Arruada de bombos