A Câmara de Arouca pretende que a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Arouca ceda o seu quartel para a instalação de diversos serviços. Em troca promete a construção de um novo. O Presidente da Direção daquela agremiação, Celso Portugal, mostra-se “aberto à negociação”.

O anúncio da intenção do Presidente da Câmara foi dado a conhecer na reunião do Executivo realizada no passado dia 6. Artur Neves informou que tal propósito tem a ver com “as necessidades de espaço para acomodar os serviços municipais que atualmente estão disseminados por vários edifícios, de retirar do sótão dos Paços do Concelho as toneladas de papel que ali estão arquivadas e que podem por em perigo a estabilidade do edifício”, assim como de “proceder ao arranjo urbanístico da Praça do Município e da sua envolvente”. Neste sentido encetou contactos informais com responsáveis da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Arouca, com o objetivo que esta associação ceda ao Município o edifício do atual quartel, “tendo como contrapartida da Câmara a construção de um novo, mais adequado às reais necessidade da corporação e, também por isso, com menores custos de manutenção”.

Em declarações ao nosso jornal, o Presidente da Direção dos Bombeiros, Celso Portugal, confirmou esse interesse e mostrou-se “aberto à negociação”, salientando as vantagens na construção de um novo, dado que o atual “possui uma estrutura demasiado pesada, com uma manutenção cara”. Este dirigente reconheceu ainda que este é “pouco funcional”, sendo que a localização não é de facto a melhor sobretudo quando se pensa nos veículos ao serviço da corporação.